Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 10, 2010

Nebulosa Roseta

Imagem
Localizado a cerca de 13 graus para o leste de Orion, a Nebulosa Roseta (NGC 2244) é outro objeto espetacular do inverno Via Láctea. Mais de 1 grau de diâmetro, é uma área de grande aglomeração de estrelas, a formação de estrelas e gás ionizado incandescente alimentada por estrelas mais quentes na região central. Na região central densa de gases e poeira que mais rapidamente condensadas em maciço de novas estrelas, a radiação intensa e ventos, que têm minado a poeira e gases provenientes destas estrelas foram formadas, causando a aparência "esvaziadas". Embora a nebulosa Roseta não seja muito luminosa - e seja muito fraca para ser vista a olho nu - é muito famosa por causa da sua impressionante forma circular, lembrando um flor. A nebulosa Roseta está no Braço de Perseu e possui um jovem aglomerado de estrelas em seu centro.

M104 Galáxia Sombrero

Imagem
M104 (NGC 4594) é um brilhante (magnitude 8) galáxia localizada no extremo sul da Virgem que leva o nome de Sombrero de sua semelhança com o largo chapéu mexicano. M104 foi descoberto por P. Mechain maio 1781, demasiado tarde para ser incluída no catálogo de Messier original, mas Messier adicionou-lo pela mão de sua cópia pessoal de maio 1781. Flammarion posteriormente acrescentado à lista de Messier oficial. M104 é um dos mais brilhantes e mais maciço das galáxias no grupo de Virgem. Sua distância é estimada em cerca de 50 milhões de anos-luz, o seu diâmetro de cerca de 100.000 anos-luz, e sua massa total, cerca de o equivalente a 1,3 trilhões de sois!

Núcleo do cometa Tempel 1

Imagem
Instantes antes de ter colidido com a superfície do núcleo do cometa Tempel 1, a sonda Deep Impact captou uma série de imagens espectaculares, numa altura em que se dirigia para a cometa a 10 km por segundo. O resultado é esta imagem composta obtida com resoluções nunca antes atingidas. A nuvem resultante do impacto da nave com o cometa tem sido analisada por equipas de investigadores que procuram descobrir de que é feito exactamente um cometa. Os cometas são considerados registos fósseis do Sistema Solar dado estes se terem formado a partir de restos primordiais deixados aquando da formação do Sol e dos planetas. Crédito: Univ. Maryland, JPL-Caltech, NASA. Instrumento: Câmara Deep Impact.

IC 1396 a cores

Imagem
Russell Croman obteve esta espectacular imagem do complexo IC 1396 a partir do seu observatório no Texas, Estados Unidos da América. Nela são visíveis o aglomerado de estrelas e a respectiva nebulosidade envolvente, sendo de particular destaque a nebulosa "Tromba de Elefante", visível na parte central, em baixo. Esta nebulosa é um glóbulo escuro de gás e poeira que se encontra em processo de erosão devido à radiação emitida pelas estrelas envolventes. Muitos outros glóbulos são visíveis na imagem, aparecendo como manchas escuras contra o fundo brilhante. Para a obtenção desta imagem foram usados filtros para captar a luz proveniente de enxofre, hidrogénio e oxigénio. Crédito: Russell Croman.

Galáxia M51

Imagem
A galáxia M 51, também conhecida por galáxia Whirlpool em inglês, é famosa devido à sua magnífica estrutura espiral. M 51 foi descoberta por Charles Messier em 1773 e catalogada por ele no ano seguinte. M 51 encontra-se em interacção com a galáxia NGC 5195, visível em baixo na imagem. A massa de M 51 está estimada em 160 mil milhões de massas solares. O seu diâmetro é de cerca 100000 anos-luz e encontra-se à distância de 37 milhões de anos-luz. Esta imagem foi obtida por Philip Perkins.
Crédito: Philip Perkins (copyright).

Titã maior lua de Saturno

Imagem
Titã é a maior lua de Saturno e a segunda maior de todo o sistema solar, depois de Ganímedes, tendo quase 1 vez e meia o tamanho da nossa Lua. É maior que um planeta do Sistema Solar: Mercúrio; caso orbitasse o Sol seria um planeta por direito próprio. Esta é a única lua no sistema solar a ter uma atmosfera densa, sendo até mais densa que a da Terra. Pensa-se que possui lagos de hidrocarbonetos, vulcões gelados, e que o metano comporta-se quase como a água na Terra, evaporando e chovendo num ciclo interminável. Titã é um mundo que se manteve oculto até muito recentemente, coberto por uma neblina densa e alaranjada. Em Janeiro de 2005, foi lançada a sonda Huygens por entre a neblina, que tirou as primeiras fotografias da superfície de Titã, mas devido ao nevoeiro, e mesmo com fotografias muito ficou por saber. Esta sonda levou consigo um milhão de mensagens de pessoas à volta do mundo. As mensagens foram enviadas pela Internet, gravadas num CD-ROM e lançadas com a sonda em 1997, e pode…

Sonda da Nasa detecta asteroide nos arredores da Terra

Imagem
O 2010 AB78 (ponto vermelho na parte superior da imagem) tem 1 km de diâmetro, mas não apresenta nenhum risco de colisão com o planeta.
O telescópio espacial Wide-field Infrared Survey Explorer(WISE), lançado em dezembro de 2009, detectou o primeiro asteroide de centenas que a Nasa, agência espacial americana, espera encontrar nos arredores da Terra nos próximos anos. A Nasa informou que o recém-batizado 2010 AB78, descoberto em 12 de dezembro passado, não apresenta nenhum risco de colisão com o planeta. Atualmente, o objeto de aproximadamente 1 km de diâmetro está a cerca de 158 milhões de km da Terra. Segundo a Nasa, o asteroide tem a órbita elíptica e chega perto do Sol como a Terra, mas por causa de sua trajetória inclinada, não deve se aproximar por muitos séculos. Apesar de não causar riscos, os cientistas continuarão monitorando a rocha espacial. Centenas de asteroides e cometas passam relativamente próximos à Terra anualmente - alguns com tamanho reduzido ingressam na órbita ter…

A Lua Europa, de Júpiter

Imagem
Europa é uma das quatro luas do planeta Júpiter, conhecidas como luas de Galileu (quatro enormes e exóticas luas com o tamanho de planetas). Europa é única por si própria, apresenta-se com uma superfície gelada muito brilhante com riscos coloridos. Pensa-se que seja um mundo oceânico coberto por uma capa de gelo que protege o mar interior da adversidade do Espaço. Devido às condições existentes em seu interior, alguns cientistas julgam que lá poderá existir vida, tal como a que existe nas profundezas dos mares da Terra. É, junto com Marte, o local mais provável onde se pensa que é possível encontrar vida extraterrestre no sistema solar, apesar de uma pequena possibilidade em Titã.

Europa - Passado e Futuro

Imagem
Esta fotografia artística representa Europa durante o início da criação do Sistema Solar. Nesta altura, os oceanos agraciavam a superfície de Europa. Por a água líquida ter existido no passado, poderá a vida ter-se formado e existir ainda hoje? Os ingredientes primários para a vida são a água, o calor e componentes orgânicos obtidos de cometas e meteoritos. Europa tinha todos esses ingredientes. Das imagens e informações recolhidas pela sonda Galileo, os cientistas acreditam que existiu um oceano abaixo da superfície na história relativamente recente e pode ainda estar presente abaixo da superfície gelada. A água de Europa pode ter congelado há muito tempo, mas pode ocorrer um aquecimento devido à atração gravitacional entre Júpiter e as luas vizinhas.

Planeta extrasolar HD 156668 b

Imagem
HD 156668 b é um planeta extrasolar que tem a sua órbita em torno da estrela HD 156668, a 80 anos-luz de distância, na constelação de Hércules. Tem uma massa mínima de 4,15 massas terrestres. Na altura da sua descoberta era o segundo menos massivo planeta descoberto pelo método de espectroscopia Doppler. Foi descoberto a 7 de Janeiro de 2010 e é o oitavo planeta descoberto em 2010 após os cinco primeiros detectados pela Missão Kepler a 4 de Janeiro e 2 planetas em redor da estrela HD 9446 a 5 de Janeiro.

Nebulosa Pata de Gato registrada na galáxia

Imagem
O Observatório do Sul Europeu (ESO) divulgou imagens da Nebulosa Pata de Gato, oficialmente conhecida como NGC 6334. Localizada a 5500 anos-luz, na direção da constelação de Escorpião, ela está quase no centro da Via Láctea. A região com pouco mais de 50 anos-luz de largura concentra grande quantidade de gás e poeira e é, portanto, local de nascimento de inúmeras estrelas – um dos maiores berçários de corpos e grande massa da nossa galáxia. Os pontos azuis na nebulosa representam estrelas de cerca de dez vezes a massa do Sol, cada uma com apenas alguns milhões de anos. O apelido, Pata de Gato, é devido à sua impressionante semelhança à pegada do animal. Além da forma curiosa, a intensa atividade na NGC 6334 faz com que ela seja uma das áreas mais estudadas do céu. O astrônomo inglês John Herschel foi o primeiro a descrever a nebulosa, em 1837, durante uma visita à África do Sul. No entanto, na época, ele só conseguiu observar a sua parte mais brilhante, na parte inferior direita da image…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...