Postagens

Mostrando postagens de Setembro 3, 2010

Buracos Negros Eternos são os Últimos Lugares Seguros no Universo

Imagem
Se você quisesse esconder alguma coisa em algum lugar para sempre, onde poderia colocar essa coisa? Buraco negros podem parecer ser esse lugar seguro, mas Stephen Hawking calculou que eles emitem uma fraca radiação e uma grande parte dos físicos atualmente acreditam que essa radiação emitida pelos buracos negros pode conter informação sobre o seu conteúdo. Agora pode existir uma maneira de se gerar um buraco negro eterno que agiria como o último esconderijo cósmico. A receita para esse improvável objeto foi descoberta ao se procurar por uma entidade ainda mais abstrata, o buraco branco. Buracosbrancos, são buracos negros que andam para trás no tempo, expelindo matéria ao invés de sugá-la. Onde um buraco negro se forma a partir do de uma estrela que entra em colapso, um buraco branco explodiria e deixaria uma estrela em seu lugar. Buracos brancos nunca foram observados, mas a teoria da relatividade geral prevê que eles poderiam existir, pelo menos em princípio. O pesquisador Stephen Hs…

Nasa planeja visita ao Sol com sonda que suporta 1398°C

Imagem
A Nasa - a agência espacial americana - divulgou projeto no qual enviará uma espaçonave à atmosfera solar, a cerca de 6,4 milhões de km de sua superfície. A missão foi nomeada Solar Probe Plus e deve ser iniciada em 2018. Em nota em seu site, a Nasa afirma que pretende descobrir os mistérios do Sol. Embora a espaçonave fique relativamente longe da superfície solar, ela terá cobertura composta por carbono e será resistente à radiação intensa e temperaturas acima dos 1398°C. "As experiências selecionadas para a Solar Probe Plus foram desenvolvidas para responder a duas perguntas sobre física solar: por que a atmosfera externa solar é muito mais quente que sua superfície visível e o que propulsiona seu vento, que afeta não só a Terra, mas todo o Sistema Solar?", contou Dick Fisher, diretor da Divisão de Heliofísica da NASA, em Washington. "Estamos lutando com essas questões por décadas, e essa missão poderá finalmente fornecer essas respostas", comemora Fisher. Fonte:n…

Hidra (satélite)

Imagem
Hidra é um satélite natural de Plutão. Ela foi descoberta juntamente com Nix em junho de 2005, pela Equipe de Busca de Plutão do telescópio espacial Hubble, composta por Hal A. Weaver, S. Alan Stern, Max J. Mutchler, Andrew J. Steffl, Marc W. Buie, William J. Merline, John R. Spencer, Eliot F. Young e Leslie A. Young. As imagens da descoberta foram tiradas em 15 de maio e 18 de maio de 2005; as luas foram avistadas pela primeira vez por Max J. Mutchler em 15 de junho de 2005 e as descobertas foram anunciadas em 31 de outubro de 2005, depois de confirmações obtidas por outras observações. A lua foi designada S/2005 P 1. O satélite orbita o baricentro do sistema no mesmo plano que Caronte e Nix, a uma distância de cerca de 65.000 km. Diferente de outras satélites de Plutão, sua órbita é apenas aproximadamente circular; sua excentricidade de 0,0052 é pequena, mas significantemente diferente de zero. Seu período orbital de 38,2 dias é próximo a uma ressonância orbital de 1:6 com Caronte, c…

Um Monstro na Escuridão – A Explosão de Raios Gamma 080607

Imagem
Explosões de raios-gamma, ou a sigla em inglês GRBs estão entre os fenômenos mais energéticos que os astrônomos observam regularmente. Esses eventos são disparados por massivas explosões e uma grande quantidade de energia é então focalizada dentro de feixes estreitos que viajam através do universo. Esses feixes são tão estreitos que eles podem ser vistos através do universo visível e permite aos astrônomos pesquisarem sobre a história do universo. Se um evento dessa magnitude acontece na nossa galáxia e nós estivermos na frente do feixe, os efeitos seriam pronunciados e poderia levar a uma extinção em massa da vida na Terra, tamanha é a energia ali concentrada.

Ainda considerado um dos mais energéticos GRBs já registrados até hoje, o GRB 0800607, aconteceu em uma nuvem de gás e poeira diminuindo a explosão por um fator de 20 – 200 dependendo do comprimento de onda analisado. Apesar da sua força, o GRB teve um brilho suficiente para ser detectado por pequenos telescópios ópticos por ma…

A Pequena Nuvem de Magalhães

Imagem
O navegador Fernão de Magalhães e sua tripulação tiveram um bom tempo para estudar o céu noturno do hemisfério sul durante a primeira circunavegação ao redor do planeta Terra. Como resultado, duas maravilhas celestes facilmente visível para os observadores do hemisfério sul tiveram seus nomes em homenagem ao navegador e são chamadas de Nuvens de Magalhães. Essas nuvens cósmicas são agora bem entendidas como sendo galáxias anãs irregulares e satélites da Via Láctea que é bem maior. A Pequena Nuvem de Magalhães se espalha na verdade por 15000 anos-luz e possui algumas centenas de milhões de estrelas. Embora esteja a 210000 anos-luz de distância da Terra na direção da constelação de Tucana, ela é mais distante do que outras bem conhecidas galáxias satélites da Via Láctea, incluindo a de Cão Maior, as galáxias Anãs de Sagitário e a Grande Nuvem de Magalhães. Essa imagem de alta resolução aqui reproduzida também inclui dois aglomerados globulares de estrelas em um primeiro plano, o NGC 362…

Spitzer: asteroides são mais variados do que se pensava

Imagem
Observações do telescópio Spitzer, da Nasa - a agência espacial americana -, indicam que a diversidade na composição e cores de asteroides é maior do que se pensava. Foram observados 100 asteróides próximos à Terra e o estudo encontrou desde asteroides escuros até outros muito claros e luminosos. O estudo colabora com os cientistas no entendimento de objetos que rondam a Terra em geral. "Os asteróides estão nos ensinado de que local do universo eles vieram", disse David Trilling, autor do artigo sobre a pesquisa e professor na Universidade do Norte do Arizona, nos Estados Unidos, em declaração divulgada pela Nasa. O estudo começou em 2009 e há o plano de se analisar mais 600 asteroides em 2011. Há, atualmente, por volta de 7 mil asteroides próximos à Terra. Fonte:noticias.terra.com.br

Hubble desvenda interior de supernova

Imagem
© NASA/ESA (supernova 1987A) Observações feitas com o Telescópio Espacial Hubble de uma supernova próxima estão permitindo que astrônomos meçam a velocidade e a composição do material do interior da estrela que é ejetado ao espaço após a explosão. Uma equipe da Universidade do Colorado em Boulder detectou um aumento significativo no brilho emitido pela supernova 1987A, o que é consistente com previsões teóricas da interação das supernovas com a vizinhança galáctica. Descoberta em 1987, essa supernova é a mais próxima da Terra a ser detectada desde 1604, e fica na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia anã vizinha da Via-Láctea. A equipe observou a supernova em luz visível, ultravioleta e infravermelho, mapeando o jogo entre a explosão estelar e o famoso "colar de pérolas", um anel brilhante com 9 trilhões de quilômetros de diâmetro que cerca o remanescente da supernova e que foi energizado por raios X. O anel de gás provavelmente foi expelido 200.000 anos antes da supernova e…

Uma Supernova Brilhante

Imagem
A explosão de uma estrela massiva brilha com uma luz equivalente a de 200 milhões de Sóis nesta imagem feita pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA. A supernova é tão brilhante nesta imagem que facilmente pode ser confundida com as estrelas de fundo da Via Láctea. Alguns dados adicionais, essa supernova, chamada de SN 2004dj, reside além da nossa galáxia. Sua casa fica nos subúrbios da NGC 2403, uma galáxia localizada a 11 milhões de anos-luz de distância da Terra. Embora a supernova esteja a uma enorme distância da Terra, ela é a explosão estelar mais próxima de nós observada em mais de uma década. Créditos:Ciência e Tecnologia

Além das Curvas dos Anéis

Imagem
Os anéis de Saturno aparecem curvos nessa imagem da sonda Cassini da NASA, que também mostra a lua Janus a distância. Janus tem 179 quilômetros de diâmetro e está na parte inferior da imagem e está mais distante da sonda do que os anéis estão. Próximo do topo da imagem os anéis parecem curvos pois essa imagem foi feita usando uma câmera de ângulo restrito para mostrar uma porção dos anéis fora do conjunto de poeira e pelo fato da Cassini estar muito próxima do plano dos anéis. Essa imagem foi feita com a sonda apontando para o sul, a parte não iluminada dos anéis está a aproximadamente 4 graus abaixo do plano dos anéis. Algumas estrelas podem ser observadas no plano de fundo. Essa imagem foi feita utilizando a luz visível em 20 de Julho de 2010. A imagem foi adquirida a uma distância de aproximadamente 2.1 milhões de quilômetros de Janus. A resolução da imagem é de 13 km/pixel. Créditos:Ciência e Tecnologia

A Corrida Para a Formação Estelar

Imagem
Corrida, raramente é um termo que vem a nossa mente quando consideramos uma ciência como a astronomia. Contudo, muitos eventos são na verdade uma corrida para se atingir a estabilidade antes que um sistema entre em implosão ou se quebre. A formação de estrelas a partir de gigantescas nuvens interestelares é apenas uma dessas corridas onde as estrelas se apressam para se formar antes que a nuvem se disperse. Embora uma estimativa grosseira dos pré-requisitos necessários para esse colapso seja discutida nas aulas introdutórias de astrofísica (por meio do estudo do Critério de Massa de Jeans), sua formulação deixa de fora alguns elementos que tem um papel fundamental no universo. Infelizmente para os astrônomos esses efeitos podem ser sutis mas significantes. O Critério de Massa de Jeans somente leva em consideração o fato da existência de uma nuvem de gás isolada. Se ela entrará ou não em colapso dependerá se existe ou não uma densidade suficientemente alta. Mas nós sabemos que as estre…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...