Postagens

Mostrando postagens de Outubro 15, 2010

Detalhando a Divisão de Cassini

Imagem
A sonda Cassini da NASA observou entre os anéis A e B de Saturno para espiar a estrutura da Divisão de Cassini. A Divisão de Cassini, ocupa a porção central esquerda da imagem, possui cinco bandas apagadas de material que compõem os anéis de Saturno, mas nem toda a divisão é mostrada nessa imagem. O anel B está a direita na imagem. O Espaço de Huygens é a ampla faixa negra no centro da imagem. Essa imagem foi feita com a sonda apontada para o norte ensolarado dos anéis a aproximadamente 3 graus acima do plano dos anéis. A imagem foi tirada em luz visível com a câmera de ângulo estreito da Cassini em 03 de setembro de 2010. A visão foi obtida a uma distância de aproximadamente 443.000 quilômetros (275.000 milhas) de Saturno. A escala da imagem é de 2 km (1 milhas) por pixel. A missão Cassini-Huygens é um projeto cooperativo da Nasa, da Agência Espacial Européia e a Agência Espacial Italiana. O Jet Propulsion Laboratory, uma divisão do Instituto de Tecnologia da Califórnia em Pasadena, ad…

R Coronae Australis: Uma Aguarela Cósmica

Imagem
A região vizinha de formação de estrelas em torno da estrela R Coronae Australis fotografada pela Wide Field Imager (WFI), no telescópio MPG / ESO de 2,2 metros do ESO em La Silla, no Chile. Esta bela fotografia da região que rodeia a estrela R Coronae Australis foi criada através de imagens obtidas com o instrumento Wide Field Imager (WFI), no Observatório de La Silla do ESO, no Chile. R Coronae Australis situa-se na zona central de uma região de formação estelar próxima e encontra-se rodeada por uma delicada nebulosa de reflexão azulada embutida numa gigantesca nuvem de poeira. A imagem revela novos detalhes surpreendentes desta região do céu. A estrela R Coronae Australis situa-se numa das mais próximas e mais espectaculares regiões de formação estelar conhecidas. A fotografia foi obtida pelo instrumento Wide Field Imager (WFI) montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros no Observatório de La Silla, no Chile. Esta imagem resulta da combinação de doze imagens diferentes obtidas com os…

Deslizamentos de Terra Recentes Registrados em Marte

Imagem
Graças a sonda Mars Reconnaisance Orbiter e a sua câmera a bordo conhecida como HiRISE, os cientistas estão sendo capazes de monitorar as mudanças que ocorrem na paisagem do planeta Marte. Eles fazem isso comparando imagens antigas com as novas e também observando feições “frescas” – como a figura acima que mostra um recente escorregamento de terra na Cratera Zunil.

“Os padrões de cor e albedo indicam que o desmoronamento ocorreu muito recentemente, tão recente que ainda não foi coberto por poeira”, escreve Alfred McEwen, principal pesquisador do HiRISE. “Observando as mudanças pode nos ajudar a entender melhor os processos ativos”. McEwen diz que o deslizamento de terra pode ter sido disparado por um terremoto marciano ou por um pequeno evento de impacto”. A figura acima foi selecionada pelo cuidadoso pesquisador Stuart Atkinson que encontrou esse deslizamento em uma escarpa íngreme da região polar norte do planeta. Aparentemente nessa região muitas rochas caíram do abismo e comparaçõe…

NGC 2170 Observada pelo VISTA

Imagem
Derivando através da constelação de Monoceros, essas faixas empoeiradas e estrelas recém nascidas fazem parte da região de formação de estrelas conhecida como Monoceros R2 que está imersa numa gigantesca nuvem molecular. Essa cena cósmica foi registrada pelo telescópio VISTA na luz do infravermelho próximo. Imagens feitas com a luz visível mostram a empoeirada NGC 2170, visto aqui a direita do centro, como um complexo de nebulosas azuladas de reflexão. Mas essa penetrante imagem no infravermelho próximo revela sinais de formação de estrelas e massivas estrelas jovens outrora escondida pela poeira. Os ventos energéticos e a radiação das estrelas jovens e quentes remodelam as nuvens natais interestelares. Perto no céu da região de formação de estrelas da Nebulosa de Orion, a região da Monoceros R2 está localizada quase que duas vezes mais distante, a uma distância de 2700 anos-luz. Nesta distância a vista se estende por aproximadamente 80 anos-luz. Fonte: http://apod.nasa.gov/apod/ap1010…

Descoberta estrela de nêutrons com fonte secreta de energia

Imagem
Pulsar tem campo magnético fraco mas ainda assim produz explosões de raios gama Grandes labaredas e explosões de energia - atividade que,a creditava-se, era exclusiva dos pulsares mais fortemente magnetizados - foram detectadas emanando de um pulsar fracamente magnetizado e de rotação lenta. A equipe de astrofísicos que fez a descoberta acredita que a fonte da potência desse pulsar pode estar oculta sob a superfície. Pulsares, ou estrelas de nêutrons, são os remanescentes de estrelas de grande massa. Embora tenham, em média, apenas 30 km de diâmetro, eles contam com campos magnéticos poderosos na superfície, bilhões de vezes mais intensos que o do Sol. Campo mangético interno pode causar emissão de radiação.Chandra X ray/Divulgação O tipo mais intenso de pulsar tem campo magnético de superfície de 50 a 100 vezes maior que o normal e emite poderosas labaredas de raios gama e raios X. Astrônomos acreditam que o campo magnético desses astros, chamados magnetares, sejam a fonte fundamental d…

V404 Cygni: um buraco negro mais próximo da Terra do que se pensava

Imagem
Os astrônomos mediram com precisão a distância entre a Terra e um buraco negro estelar específico pela primeira vez. E,  Ele está bem perto. Os investigadores determinaram que o buraco negro V404 Cygni está situado a distância de 7.800 anos luz da Terra, pouco a mais da metade da distância anteriormente estimada. Isto coloca o buraco negro V404 Cygni relativamente perto da Terra, considerando que a distância do Sol ao centro da galáxia é de 26.000 anos luz e a estrela mais próxima [Próxima Centauri] fica a apenas 4,2 anos luz de distância.

Esta medida mais precisa da distância permitirá aos cientistas traçar um melhor quadro de como evoluem os buracos negros, disse a equipe. “Por exemplo, esperamos ser capazes de responder a pergunta se há diferenças entre os buracos negros que evoluem diretamente a partir do colapso de uma estrela sem supernova e os buracos negros que evoluem a través de supernova e uma estrela intermediária temporal”, disse o membro da equipe desta pesquisa Peter Jo…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...