Postagens

Mostrando postagens de Outubro 20, 2010

Astrônomos anunciam idade do objeto mais antigo já observado

Imagem
Hoje em dia a galáxia é tão velha que provavelmente não existe mais em sua forma original

Imagem de campo ultra-profundo do Hubble, onde a galáxia mais antiga foi localizada.HST/Nasa-ESA Pesquisadores acreditam ter encontrado a coisa mais antiga já avistada no Universo: uma galáxia muito, muito distante, de muito tempo atrás. Escondida numa imagem do Telescópio Espacial Hubble divulgada meses atrás há uma pequena mancha de luz que, de acordo com cálculos feitos por astrônomos europeus, é uma galáxia de 13,1 bilhões de anos atrás. Esta é uma época em que o Universo era extremamente jovem, com apenas 600 milhões de anos. Isto faz dela a galáxia mais primitiva e mais distante já avistada. Hoje em dia a galáxia é tão velha que provavelmente não existe mais em sua forma original e já se fundiu com as vizinhas, disse Matthew Lehnert, do Observatório de Paris, principal autor do estudo publicado na revista científica Nature.
"Estamos olhando para o Universo quando ele tinha 5% de sua ida…

Telescópio espacial Planck

Imagem
O objetivo da missão Planck da Agência Espacial Europeia (ESA) é o de estudar o nascimento do Universo. Ela deverá auxiliar os astrônomos a desenvolver teorias sobre o nascimento e sobre a evolução do Universo. O telescópio espacial  Planck deverá examinar a radiação cósmica de fundo do universo, que é constituída de micro-ondas com um nível de precisão e de resolução angular nunca antes visto. Trata-se da terceira missão de médio porte do programa denominado de ESA's Horizon 2000 Scientific e que hoje faz parte do programa Cosmic Vision. O telescópio  Planck deverá fornecer informações relevantes de vários assuntos cosmológicos e astrofísicos, tais como testar teorias sobre a fase inicial do Universo e sobre a origem da estrutura cósmica.
Qual será o futuro do Universo?
Enquanto o Herschel vai olhar para os primeiros instantes do Universo, o telescópio espacial Planck tem a preocupação oposta. Sua principal missão será estudar como o Universo se desenvolverá, como ele irá mudar e c…

Reflexões no VLT

Imagem
O Sol se põe no Very Large Telescope do ESO nessa imagem. Feita no observatório em Cerro Paranal no seco Deserto do Atacama do Chile, os telescópios de 8,2 metros do observatório pode ser vistos se preparando para mais uma noite de estudos. Três dos quatro Telescópios Auxiliares do VLT de 1.8 metros usados para interferometria são também visíveis nessa imagem. Os telescópios são vistos refletindo na cobertura de proteção de uma das estações do Telescópios Auxiliares. Os Telescópios Auxiliares são montados em trilhos e podem se movimentar em posições precisamente definidas de onde os feixes de luz coletada são combinados no laboratório de interferometria. Os Telescópios Auxiliares são telescópios bem invulgares, pelo fato deles possuírem seu próprio domo protetor ultra compacto, e viajar com seu sistema eletrônico, de ventilação, hidráulico e de resfriamento. Cada Telescópio Auxiliar tem seu próprio transportador que ergue o telescópio e o movimenta de uma posição para outra. A 2600 me…

Descoberto misterioso ponto quente em planeta fora do Sistema Solar

Imagem
Planeta se comporta como uma praia que fosse mais quente ao crepúsculo que ao meio-dia                                    Ponto mais quente do planeta fica a 80 graus da área iluminada pela estrela.Divulgação/Nasa O gigante gasosoupsilon Andromedae b mantém uma face perpetuamente voltada para sua estrela, upsilon Andromedae, a 44 anos-luz da Terra. A despeito disso, no entanto, o ponto mais quente de sua atmosfera não está diretamente sob a face da estrela, mas a 80º de latitude de lá, de acordo com observações realizadas pelo Telescópio Espacial Spitzer. "Não esperávamos encontrar um ponto quente tão longe", disse, por meio de nota, Ian Crossfield, principal autor de um artigo sobre a descoberta, que será publicado pelo Astrophysical Journal. "Está claro que entendemos ainda menos a respeito da energética da atmosfera de Jupíteres quentes do que pensávamos". No estudo, os astrônomos descrevem observações de upsilon Andromedae b feitas ao longo de cinco dias, em fevere…

Hubble destaca zonas de formação de estrelas em galáxia espiral

Imagem
Áreas rosadas marcam o hidrogênio quente das estrelas nascentes
             NGC 3982, galáxia localizada a 68 milhões de anos-luz.HST/Nasa-ESA A galáxia NGC 3982 chama atenção pela rica tapeçaria de regiões de nascimento de estrelas espalhadas ao longo de seus braços espirais. Elas aparecem nesta imagem do Telescópio Espacial Hubble como pontos rosados de hidrogênio incandescente. Também é possível ver os aglomerados azuis de estrelas recém-nascidas e as avenidas de poeira escura que fornecem matéria-prima para futuras gerações de astros. O núcleo brilhante abriga uma geração mais antiga, que cresce em densidade na direção do centro. NGC 3982 fica a cerca de 68 milhões de anos-luz, na constelação de Ursa Maior. Ela tem 30.000 anos-luz de diâmetro, ou cerca de um terço do tamanho da Via-Láctea. A imagem foi feita a partir de três câmeras do Hubble, em exposições realizadas entre 2000 e 2009. O colorido da imagem vem do fato de que a galáxia foi fotografada tanto em luz visível quanto em i…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...