Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 13, 2011

O buraco negro do centro da Via Láctea poderá ser super ativo?

Imagem
© NASA/Chandra (galáxias Abell 644 e galáxia SDSS J1021+131) Um novo estudo dos cientistas do Observatório de Raios-X Chandra da NASA busca calcular a frequência pela qual os maiores buracos negros galácticos conhecidos têm sido ativos nos últimos bilhões de anos. Os resultados foram publicados na edição de 10 de novembro da revista Astrophysical Journal. Esta descoberta esclarece a forma pela qual os buracos negros podem crescer e pode trazer implicações para a maneira pela qual o buraco negro gigante no centro da nossa galáxia, a Via Láctea, poderá se comportar no futuro. Leia a matéria completa em:http://cosmonovas.blogspot.com/2010/12/o-buraco-negro-do-centro-da-via-lactea.html Créditos: Astro News

Será Que Existem Nebulosas (Gás e Poeira) Dentro de Aglomerados Globulares?

Imagem
Os aglomerados globulares são agrupamentos de estrelas enormes, de forma esférica e que contém de várias dezenas de milhares a centenas de milhares de estrelas. Segundo os atuais modelos de formação estelar, os aglomerados globulares possuem estrelas que pertencem a chamada população II, ou seja, estrelas velhas, que se formaram junto com a galáxia que abriga esses aglomerados. Leia matéria completa em:http://cienctec.com.br/wordpress/?p=7404
Créditos: Ciência e Tecnologia

Henize 2-10: Um Olhar Detalhado no Início do Cosmos

Imagem
As observações combinadas de múltiplos telescópios feitas do objeto Henize 2-10, uma galáxia de explosão de estrelas anã, localizada a aproximadamente 30 milhões de anos-luz de distância da Terra, têm fornecido aos astrônomos uma nova visão detalhada em como a formação de galáxias e de buracos negros pode ter ocorrido no início do universo. Leia a matéria completa em: http://cienctec.com.br/wordpress/?p=7474
Créditos: Ciência e Tecnologia

Olhos no Céu – Galáxias em Fusão

Imagem
Essas galáxias que possuem uma forma distorcida formam uma gigantesca máscara no céu. Os olhos azuis congelados são na verdade os núcleos de duas galáxias que se encontram em processo de fusão, chamadas NGC 2207 e IC 2163, e a máscara são seus braços espirais. A imagem em cores falsas consiste de dados infravermelhos do Telescópio Espacial Spitzer da NASA (vermelho) e dos dados visíveis do Telescópio Espacial Hubble da NASA (azul e verde). A NGC 2207 e a IC 2163 se encontraram e começaram um tipo de tango gravitacional a aproximadamente 40 milhões de anos atrás. As duas galáxias estão puxando uma a outra, estimulando com isso a formação de novas estrelas. Eventualmente, esse baile cósmico terá um fim, e isso acontecerá quando as galáxias finalmente se fundirem por completo formando uma única galáxia gigantesca. A dupla dançante está localizada a 140 milhões de anos-luz de distância na constelação de Canis Major. Os dados infravermelhos do Spitzer destacam as regiões empoeiradas das ga…

Telescópio Espacial Hubble Descobre Elevada Energia Proveniente de Pequenas Estrelas

Imagem
Uma pesquisa profunda de mais de 200000 estrelas na nossa Via Láctea tem revelado o comportamento as vezes petulante de pequenas estrelas conhecidas como anãs vermelhas. Essas estrelas que são menores que o Sol, podem lançar poderosas erupções chamadas de labaredas que podem atingir a energia de mais de 100 milhões de bombas atômicas.
Leia a matéria completa em: http://cienctec.com.br/wordpress/?p=7470
Créditos: Ciência e Tecnologia

Nebulosa da Gaivota

Imagem
Créditos da imagem & Copyright: Michael Sidonio
Essa grande expansão de gás e poeira brilhantes apresenta-se na forma de um pássaro para os astrônomos que a observam da Terra, sugerindo um nome popular para esse objeto, a Nebulosa da Gaivota. Essa foto do pássaro cósmico cobre uma largura de 1.6 graus através do plano da Via Láctea, próximo à direção da estrela Sirius, a estrela alfa da constelação de Canis Major. Claro, a região inclui objetos com outras designações em catálogos oficiais: notavelmente a NGC 2327, uma compacta, região de emissão empoeirada com uma estrela massiva embebida forma a cabeça do pássaro (conhecida como Nebulosa do Papagaio, localizada acima do centro da imagem). A IC 2177 forma o arco das asas da gaivota. Dominada por um brilho avermelhado de hidrogênio atômico, o complexo de nuvens de gás e poeira com estrelas jovens brilhantes se espalha por amis de 100 anos-luz e está a uma distância estimada de 3800 anos-luz da Terra. Fonte: http://apod.nasa.gov/apod/…

Imagem Detalhada da Galáxia NGC 3521

Imagem
Creditos: Data - Hubble Legacy Archive, ESA, NASAProcessing - Robert Gendler A bela galáxia espiral NGC 3521 está localizada a 35 milhões de anos-luz de distância da Terra na direção da constelação de Leão. Espalhando-se por 50000 anos-luz sua região central é mostrada nessa imagem sensacional construída a partir de dados que fazem parte do Hubble Legacy Archives. A imagem detalhada destaca múltiplas características da galáxia, braços espirais irregulares e incompletos atravessados por poeira e por aglomerados de estrelas jovens e azuis. Em contraste com muitas outras galáxias espirais que exibem grandes e contínuos braços espirais. A NGC 3521 é uma galáxia relativamente brilhante no céu da Terra e pode ser observada com a ajuda de pequenos telescópios, mas normalmente ela é deixada de lado, pois os amadores preferem observar outras duas galáxias espirais em Leão, a M66 e a M65, localizadas na região conhecida como Trio de Leão juntamente com a NGC 3628. Fonte:http://apod.nasa.gov/apod/…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...