Postagens

Mostrando postagens de Março 2, 2011

Nova aguarela resplandecente da Nebulosa Omega

Imagem
A Nebulosa Omega, uma maternidade estelar, onde estrelas bebés iluminam e esculpem uma imensa fantasia em pastel de poeiras e gás, é revelada em toda a sua glória nesta nova imagem do ESO. A Nebulosa Omega, também conhecida como Nebulosa do Cisne, é uma maternidade estelar deslumbrante situada a cerca de 5500 anos-luz de distância na direcção da constelação do Sagitário. Uma região de formação estelar activa de gás e poeira com aproximadamente 15 anos-luz de comprimento, a nebulosa deu recentemente origem a um enxame de estrelas quentes, de grande massa. A radiação intensa e os ventos fortes originados nestas estrelas esculpiram fantásticas estruturas em filigrana de gás e poeira. O astrónomo suiço Jean-Philippe Loys de Chéseaux descobriu esta nebulosa por volta de 1745. O caçador de cometas francês Charles Messier descobriu-a independentemente cerca de vinte anos depois e incluiu-a no seu famoso catálogo com o número 17. Observada com um pequeno telescópio, a Nebulosa Omega aparece c…

Uma Espiral Perfeita Revestida Por Preciosidades da Via Láctea

Imagem
O Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA produziu essa imagem detalhada da bela galáxia espiral NGC 6384. Essa galáxia localiza-se na constelação de Ophiuchus não muito longe do centro da Via Láctea no céu. O posicionamento da NGC 6384 significa que nós temos que espiar através das muitas estrelas da Via Láctea no primeiro plano que aparecem dispersas nessa imagem. Em 1971, um membro da NGC 6384 se destacou contra esse brilhante plano de estrelas quando explodiu como uma supernova. Essa foi uma supernova do Tipo Ia que ocorre quando uma estrela compacta que cessou sua fusão no núcleo, chamada de anã branca aumenta sua massa além de um limite crítico retirando matéria de uma estrela companheira. Uma rápida explosão nuclear então faz com que a estrela brilhe de maneira repentina no céu como uma galáxia inteira. Enquanto muitas estrelas que já caminham para o fim de suas vidas na NGC 6384, no centro, estrelas em formação estão sendo abastecidas pela estrutura barrada da galáxia. Os astrô…

83 Leonis

Imagem
83 Leonis (83 Leo) é uma sistema estelar binário a aproximadamente 58 anos-luz de distância na constelação do  Leão. A estrela primária do sistema é uma fria subgigante laranja tipo K, a estrela secundária é uma anã laranja. As duas estrelas estão separadas por 515 U.A. de distância uma da outra. Ambas as estrelas são mais frias que o nosso Sol. Em 2005, foi confirmado a existência de um planeta extra-solar orbitando a estrela secundária do sistema. Por causa do componente óptico das duas estrelas (com isso aparece próximo das estrelas de sua linha de visão), este planeta foi capaz de ser descoberto.
Sistema estelar

O componente primário, 83 Leonis A, é uma estrela de sexta magnitude. Ela não é visível a olho nu, mas com ajuda de binóculos pode ser vista. A estrela é classificada como uma subgigante, ela pode ter cessado ou está cessadno a fusão de hidrogênio em seu núcleo, então evoluirá para uma gigante vermelha. O componente secundário, 83 Leonis B, é uma anã laranja de oitava magnit…

Eta Carinae

Imagem
Créditos:ESO
Esta imagem azul luminosa da estrela variável Eta Carinae foi tomada com o instrumento NACO óptica adaptativa do infravermelho próximo no Very Large Telescope do ESO, produzindo uma quantidade incrível de detalhes. As imagens mostram claramente uma estrutura bipolar, assim como os jatos saindo da estrela central. A imagem foi obtida pela equipe de Ciências Paranal e processado por Yuri Beletsky (ESO) e Hannes Heyer (ESO). É baseado em dados obtidos através larga (J, H e K, 90 tempo de exposição segundo por filtros) e estreita-bandas (1,64, 2,12 e 2,17 microns; sondagem hidrogênio ferro, molecular e atômica, respectivamente, 4 min por filtro ). Fonte:http://www.eso.org/public/images/eso0817a/

Ponte Galactica

Imagem
Créditos: G. Hüdepohl/ESO
Nossa própria galáxia, a Via Láctea, aparece neste ângulo, com uma vista deslumbrante que parece como uma ponte do Paranal Mountain, VLT (à esquerda) com o pico mais próximo. A área mais brilhante, atravessada por ruas escuras corresponde ao bojo central da nossa galáxia que vemos perfeitamente de lado. À direita, um pouco acima do telescópio VISTA, a galáxia Andrômeda (M31) é claramente visível como uma mancha alongada brilhante. M31 é uma galáxia espiral gigante, maior do que a Via Láctea, membro do nosso Grupo Local, localizado cerca de 2 milhões de anos-luz de distância. Devido à qualidade excepcional do céu, as estrelas ainda são perfeitamente visíveis logo acima do horizonte, onde nuvens geralmente cobrem o Oceano Pacífico, a apenas 12 km de distância do observatório. Fonte:http://www.eso.org/public/images/gerd_huedepohl_8/

O Disco de Poeira de NGC 247

Imagem
Esta imagem da galáxia espiral NGC 247 foi obtida com o Wide Field Imager (WFI) em La Silla do ESO no Chile. NGC 247 é pensado para estar cerca de 11 milhões de anos-luz de distância na constelação de Cetus (Baleia). É uma das galáxias mais próximas à Via Láctea e membro do Grupo do Escultor. Esta imagem de NGC 247, obtida com o instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros instalado no Observatório de La Silla do ESO, Chile, revela de forma muito detalhada esta galáxia espiral bastante inclinada, assim como o seu campo de fundo. Os astrónomos dizem que esta orientação muito inclinada, quando vista a partir da Terra, explica porque é que a distância a esta galáxia foi anteriormente sobrestimada. A galáxia espiral NGC 247 é uma das galáxias espirais do céu austral mais próximas de nós. Nesta nova imagem obtida com o instrumento Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO de 2.2 metros no Chile, podem observar-se nos braços em espiral um grande número de e…

Sonda SDO da NASA Registra Proeminência Gigante no Sol

Imagem
Quando uma grande labareda da classe M 3.6 ocorre próximo da borda do Sol, ela sopra uma imensa massa em forma de onda de plasma em erupção que entra em um movimento espiralado por um período de mais de 90 minutos e isso aconteceu no dia 24 de Fevereiro de 2011. Esse evento foi registrado em luz extrema ultravioleta pela sonda da NASA Solar Dynamics Observatory. Parte do material foi soprado para o espaço e outra parte desse material retornou para a superfície solar. Pelo fato das imagens feitas pela sonda SDO serem uma super resolução, é possível observar em detalhe os detalhes impressionantes desse fenômeno. Registrando uma imagem a cada 24 segundos é possível montar um filme que mostra como o fenômeno se desenvolve. O filme em alta resolução pode ser acessado aqui:http://www.flickr.com/photos/gsfc/5483193591

Créditos:http://cienctec.com.br/

NGC 1499: A Nebulosa da Califórnia

Imagem
 Créditos & Copyright: Noller Markus (Imagens Deep Sky)
O que a Califórnia está fazendo no espaço? Vagando através do Braço de Orion da galáxia espiral da Via Láctea, essa nuvem cósmica tem a forma parecida com o estado da Califórnia na costa oeste dos Estados Unidos. O nosso Sol e consequentemente o Sistema Solar também localiza-se no Braço de Orion da Via Láctea a somente 1500 anos-luz de distância da Nebulosa da Califórnia. Também conhecida como NGC 1499, a clássica nebulosa de emissão tem aproximadamente 100 anos-luz de comprimento. Em muitas imagens, o brilho mais proeminente da Nebulosa da Califórnia é vermelho, brilho esse característico dos átomos de hidrogênio recombinando com elétrons perdidos que são retirados, ou ionizados pelo brilho estelar energético. Na imagem acima, contudo, o hidrogênio é colorido de verde, enquanto que o silício é mapeado em vermelho e o oxigênio em azul. A estrela que provavelmente mais contribui com energia para ionizar a maior parte do gás da …

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...