Postagens

Mostrando postagens de Março 31, 2011

Constelação de Virgem

Imagem
A constelação zodiacal de Virgem é denominada Virgo. A declinação gramatical utilizada para batizar as estrelas, neste caso, é Virginis. Uma constelação é um grupo de estrelas fixas que, ligadas por linhas imaginárias, formam também uma figura pertencente ao campo da imaginação, a que corresponde um nome especial. As vizinhas de Virgo, conforme as demarcações modernas, são Boötes, Coma Berenices, Leo, Crater, Corvus, Hydra, Libra e Serpens. Virgem é a constelação mais entretecida por lendas e histórias míticas. Ela foi uma das primeiras a receber uma denominação, e sempre foi representada pela imagem de uma donzela. Das suas estrelas há a destacar a α, Spica (também chamada Espiga), uma estrela azul esbranquiçada, intrinsecamente muito brilhante, a 280 anos-luz de nós. Se estivesse à distância que está Sírio (a mais luzidia dos nossos céus) seria umas noventa vezes mais brilhante! Aquilo que à vista desarmada parece ser uma só estrela, a γ, Porrima, é, na verdade, um par de estrelas m…

Remanescente de Supernova IC 443

Imagem
Créditos & Copyright: Jean-Charles Cuillandre (CFHT), Hawaiian Starlight, CFHT Cerca de 8000 anos atrás, uma estrela em nossa galáxia explodiu. Seres humanos antigos devem ter notado que a supernova surgiu como uma estrela temporária, mas os humanos modernos podem ver o reservatório de expansão de gás até hoje. Na foto acima, parte da casca do IC 443 é visto como sendo composto de filamentos complexos, alguns dos quais estão impactando uma nuvem molecular existentes. Aqui emissão de choque animado hidrogênio molecular está permitindo que os astrônomos estudem o quão rápido o gás da supernova se movimento  e afeta a formação das estrelas nas nuvens. Adicionalmente, os astrônomos acreditam que o impacto acelera algumas partículas a velocidades próximas à da luz. Remanescente de supernova IC 443 é também conhecida a brilhar intensamente também em luz infravermelha e raios-X.
Fonte:http://apod.nasa.gov

Chegada da primavera proporcionará belas vistas de Mercúrio e Júpiter ao por do sol no hemisfério norte

Imagem
Em sua orbita mais distante do Sol eles aparecem no céu de nosso planeta, Mercúrio vai aparecer bastante neste mês como a aproximação da primavera no hemisfério norte Quando a tonalidade quente do sol começa a desvanecer-se ao por do sol, dois faróis celestes brilham do crepúsculo até a noite, Mercúrio e Júpiter. Em sua orbita mais distante do Sol eles aparecem no céu de nosso planeta, Mercúrio vai aparecer bastante neste mês com a aproximação da primavera no hemisfério norte, onde o plano da eclíptica faz um ângulo com o horizonte ocidental. Mas Júpiter continuará afundando cada vez mais no céu depois do por do sol. Na verdade, o rápido mercúrio brilha normalmente bem acima de Júpiter no céu sereno como desta imagem. Capturados no início desta semana na ilha de de Frösön no norte da Suécia, a cena olha através do lago Storsjön em direção à aldeia de Hallen e montanhas distantes. É claro que mesmo as melhores vistas de Mercúrio agora podem ser obtidas pela sonda MESSENGER, agora em ór…

Universo: a Cruz de Einstein e a curvatura do espaço-tempo

Imagem
Típica lente gravitacional mostra a luz de um poderoso quasar posicionado atrás da galáxia. Sem a curvatura do espaço-tempo não seria possível ver o objeto. Créditos: Nasa/Hubble Science/Apod/Royal Astronomical Society/Apolo11.com.
Quando se fala em miragem, quase sempre nos vem à mente aquelas paisagens do deserto ou das estradas, onde uma falsa imagem é criada pelo desvio da luz refletida na areia ou asfalto quente.No Universo essas miragenstambém acontecem, mas são provocadas por motivos bem diferentes.A imagem acima é um exemplo típico de um desses fenômenos, chamado de Cruz de Einstein. A cena, captada pelo telescópio espacial Hubble mostra uma distante galáxia envolta por quatro pontos centrais que parecem ser o seu núcleo. Parece, mas não é. O que se vê na imagem é na realidade a luz proveniente de um distante e poderoso objeto, que ao passar pelo intenso campo gravitacional da galáxia é dividida em quatro feixes, em um mecanismo conhecido como "lente gravitacional".  …

Apresentadas Novas Imagens de Mercúrio Feitas Pela MESSENGER: É Só O Começo da Missão

Imagem
Compartilhando apenas algumas das mais de 1500 imagens feitas pela sonda MESSENGER agora de um ponto orbital vantajoso e bem diferente do ponto de onde foram feitas as anteriores, quando a sonda não estava em órbita, mas apenas sobrevoava o planeta, os cientistas estão muito animados e é compreensível essa animação, com os dados que eles receberam da sonda. “Todos os instrumentos estão trabalhando muito bem e retornando os dados esperados”, disse o principal pesquisador da MESSENGER, Sean Solomon.
Leia a matéria completa em:http://cienctec.com.br/wordpress/?p=9907 Créditos:http://cienctec.com.br

A Sonda MESSENGER em Mercúrio

Imagem
No dia 17 de Março de 2011, a sonda MESSENGER se tornou a primeira sonda construída pelo homem a entrar na órbita de Mercúrio, o planeta mais interno do Sistema Solar. A imagem acima é a primeira imagem colorida processada desde que a sonda entrou na órbita do planeta. Maior, mais denso e com quase o dobro da gravidade superficial encontrada na Lua, Mercúrio ainda se parece com a Lua na primeira vez em que é observado. Mas nessa imagem seu terreno mostra áreas em azul claro e marrom próximas às crateras e longos e brilhantes raios de material riscando a superfície. A brilhante cratera raiada proeminente na imagem é a Cratera Debussy na parte superior a direita, essa cratera tem 80 km de diâmetro. O terreno que aparece em direção a parte inferior dessa histórica imagem se estende para o polo sul de Mercúrio e apresenta uma região nunca antes fotografada ou imageada por sondas enviadas ao planeta. Fonte:http://apod.nasa.gov/apod/ap110331.html

Europeus fornecem a mais exata imagem da gravidade na Terra

Imagem
Modelo da gravidade na Terra fornecerá dados oceanográficos e da estrutura interna do planeta

Dados enviados por satélite à ESA (Agência Espacial Europeia), durante dois anos, possibilitaram o estudo preciso da gravidade do planeta Terra de uma forma inédita. Os cientistas agora detêm um dos mais exatos modelos geoide (forma mais aproximada do nosso planeta, visto que ele não é totalmente redondo) do lugar onde vivemos. A imagem foi divulgada nesta quarta-feira durante uma conferência em Munique (Alemanha). O geoide é uma superfície projetada da Terra e nesta apresentada pela ESA se considerou sua gravidade sem a ação de marés e correntes oceânicas. O modelo serve como referência para medir a movimentação dos oceanos, a mudança do nível do mar e a dinâmica do gelo, o que pode abrir precedente para entender com maior profundidade as mudanças climáticas.

Além desses dados oceanográficos, também servirá para o estudo da estrutura interna do planeta --como os processos que levam à formação …

O que são Magnetares

Imagem
Imagem do Spitzer Space Telescope do Magnetar SGR 1900+14
Magnetares são estrelas de nêutrons com campos magnéticos que são cerca de um quatrilhão de vezes maior do que o campo magnético da Terra e emitem raios X e raios Gama. Acredita-se que esses impressionantes campos magnéticos são produzidos quando uma estrela de nêutrons de rotação extremamente rápida é formada pelo colapso do núcleo de uma estrela massiva. Quando uma estrela de nêutrons se forma, ela desencadeia uma explosão de supernova que expele as camadas exteriores da estrela em altas velocidades. A alta taxa de rotação da estrela de nêutrons intensifica o campo magnético já super forte para níveis de magnetar. Quando as forças magnéticas ficam fortes o suficiente, eles podem causar starquakes na superfície da estrela de nêutrons que produzem poderosas explosões de raios-X chamado flashes de raios-X. Esses eventos podem representar um tipo intermediário de explosão de supernova – mais energética que uma supernova comum, mas…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...