Postagens

Mostrando postagens de Novembro 21, 2011

Aceleradores cósmicos de partículas começam a ser compreendidos

Imagem
No espaço, grandes campos magnéticos guiam as partículas conhecidas como raios cósmicos ao longo do Universo a uma velocidade próxima à da luz - são os aceleradores naturais de partículas. [Imagem: NASA/ESA/Hubble Heritage Team et al.]
Aceleradores naturais - As sondas espaciais da missão Cluster, da ESA, descobriram que os aceleradores de partículas cósmicas são mais eficientes do que se pensava. A descoberta revelou, pela primeira vez, as fases iniciais dos aceleradores naturais de partículas do Universo. Todos os aceleradores de partículas necessitam de uma forma de iniciar o processo de aceleração. Por exemplo, o Large Hadron Collider (LHC), recorre a uma série de pequenos aceleradores que põem as partículas em movimento antes de estas serem injetadas no anel principal, de 27 km de comprimento, onde atingem a velocidade desejada. No espaço, grandes campos magnéticos guiam as partículas conhecidas como raios cósmicos ao longo do Universo a uma velocidade próxima à da luz, mas são po…

Presença de metano pode indicar vida em um planeta

Imagem
Astrônomos se perguntam, há várias décadas, se pode existir vida em outros planetas. E o “método” para encontrá-la, na verdade, é muito simples: verificar se existe água no planeta em questão. A partir daí, é possível que haja vida. Mas cientistas americanos trabalham com a possibilidade de que a água talvez não seja tão fundamental assim. No caso da Terra, a água está presente no estado líquido. Suas características permitem que haja movimentação de moléculas e elementos químicos necessária para o desenvolvimento da vida, o que sempre fez os astrônomos a considerarem indispensável. Mas pesquisadores da NASA afirmam que outros corpos celestes podem ser substitutos que cumpram o papel da água. A base para essa teoria é Saturno. Pense em um gigantesco planeta, rodeado por aneis e situado a 1,4 bilhões de quilômetros do sol. Saturno tem uma série de satélites naturais, alguns dos quais são até maiores do que o planeta Mercúrio. Uma destas grandes luas, Titã, chega a ter a sua própria atm…

Edwin Hubble Georges Lemaitre descobriu a expansão do Universo

Imagem
George Lemaitre descobriu a expansão do Universo e criou a Teoria do Big Bang, entre outras contribuições à ciência. [Imagem: NASA/ESA/A. Feild(STScI)]
Segundo famoso - Um artigo publicado na edição desta semana da revista Nature vem corrigir duas injustiças históricas na área da cosmologia. O verdadeiro descobridor da expansão do Universo foi o cosmólogo belga Georges Lemaitre, que publicou seus cálculos no ano de 1927, dando finalmente uma solução dinâmica para as equações de Einstein. A segunda injustiça a ser corrigida é que Edwin Hubble, a quem vem sendo atribuída incorretamente a autoria da descoberta, não usou sua influência para ganhar a primazia sobre o feito. As revelações foram feitas graças ao trabalho de detetive do astrofísico Mario Livio, que trabalha justamente no instituto que coordena as pesquisas do Telescópio Espacial Hubble - o telescópio mais famoso do mundo, cujo nome homenageia justamente o agora demovido Edwin Hubble.
Lemaitre descobre a expansão do Universo - G…

Verão Cruel

Imagem
O pequeno quadrado verde mostrado na imagem acima de Mercúrio marca o ponto de zero grau de latitude e de 180º de longitude na superfície do planeta. Esse é um dos dois chamados polos quentes de Mercúrio. O outro fica nas coordenadas 0º de latitude e de 0º de longitude. Uma relação entre a excentricidade da órbita de Mercúrio e a sua rotação se combinam para que um ou outro desses polos quentes esteja apontando para o Sol quando Mercúrio passa o mais perto da estrela durante a sua órbita e o Sol então fica diretamente acima desses pontos por mais tempo do que qualquer outro ponto de Mercúrio. Desse modo, os chamados polos quentes recebem aproximadamente duas vezes e meia mais radiação solar do que os pontos em 90º e 270º de longitude e por esse motivo são muito mais quentes. Como o eixo de rotação de Mercúrio não possui essencialmente nenhuma inclinação com relação ao seu plano orbital, como no caso da Terra em que essa inclinação é de aproximadamente 23º, Mercúrio não possui estações…

Nasa lança neste sábado jipe para procurar vida em Marte

Imagem
Ilustração do jipe Curiosity em solo marciano; missão no planeta vermelho começa com lançamento nesta semana Neste sábado (26), a Nasa tenta iniciar uma nova investida até o planeta vermelho. O objetivo: achar os ingredientes da vida em Marte. O encarregado de realizar a tarefa é o jipe Curiosity, um grandalhão que tem quase o tamanho de um automóvel (três metros de comprimento e quatro toneladas). O projeto custou US$ 2,5 bilhões, e a missão deve durar pelo menos um ano marciano (687 dias). Movido a energia nuclear, o jipe terá mais eletricidade que qualquer outro dispositivo em Marte, sem depender de painéis solares. Poderá trabalhar dia e noite.
VIVENDO E APRENDENDO - Em 1976, duas espaçonaves, Viking-1 e 2, levaram ao solo marciano experimentos dedicados à detecção de vida. A ideia era misturar nutrientes ao solo. Se desse reação positiva, pronto: bactérias extraterrestres. Quando o experimento foi conduzido na prática, ocorreu o inesperado. A superfície marciana parecia estar che…

As dunas marcianas

Imagem
Esta semana o Orbitador para Reconhecimento de Marte (MRO na sigla em inglês) liberou algumas imagens muito interessantes da superfície marciana. Lançado pela NASA em 2005, o MRO já cobriu completamente a superfície de Marte algumas dezenas vezes, provavelmente, e o interessante é que existem fotos obtidas com um intervalo razoável de tempo entre elas. Essa sequência temporal de imagens meio que forma um filme da dinâmica marciana. Essas sequências publicadas agora pelo pessoal da Universidade Johns Hopkins, dos EUA, mostram que as dunas de areia se alteram e se movem com o passar dos anos. Em suma, essas imagens mostram que a superfície marciana tem uma dinâmica muito maior que a imaginada até hoje. Bom, o lance é o seguinte, desde a década de 1970 as sondas Vikings já mostravam que a superfície marciana não era estática. Os orbitadores que se seguiram, também mostravam diferenças entre fotos tiradas com um certo intervalo de tempo. Os jipes marcianos também tiraram centenas de fotos…

Cientistas criam método para dizer se exoplaneta pode abrigar vida

Imagem
Grupo de astrobiólogos criou dois índices para avaliar os novos 'mundos'. Detalhes da metodologia serão explicados em artigo em revista científica. Ilustração de um exoplaneta com luzes artificiais (Foto: David A. Aguilar (CfA)) Um grupo de pesquisadores internacional divulgou nesta segunda-feira (21) o primeiro método de análise de exoplanetas para dizer se eles podem ou não abrigar vida. Detalhes do estudo serão conhecidos na edição de dezembro da revista científica "Astrobiology" (astrobiologia, em inglês). Com cientistas da agência espacial norte-americana (Nasa), do Centro Espacial alemão e do projeto SETI - que busca por sinais de vida inteligente fora da Terra, o artigo defende que a procura deve se basear em duas questões: se as condições encontradas na Terra podem existir em outros planetas e se o ambiente nesses mundos pode abrigar formas de vida diferentes das terrestres. Para isso, eles criaram dois índices, que avaliam as condições de um exoplaneta para ab…

Novos dados do buraco negro Cygnus X-1

Imagem
Por intermédio de dados de telescópios que captaram sinais de frequência na região do rádio, óptico e raios-X telescópios foi possível revelar novos detalhes sobre o nascimento do famoso buraco negro no sistema Cygnus X-1 que ocorreu cerca de 6 milhões de anos atrás. O sistema Cygnus X-1, está localizado perto de grandes regiões ativas de formação de estrelas na Via Láctea, e contém um buraco negro, em órbita estreita (cerca de 0,2 UA) com a estrela supergigante azul chamada HDE 226868. Este último estudo obteve valores notavelmente precisos de sua massa, rotação e distância da Terra. Usando o telescópio de raios-X Chandra, o Rossi X-ray Timing Explorer, e o satélite Advanced Satellite for Cosmology and Astrophysics, os cientistas foram capazes de determinar o spin de Cygnus X-1 com uma precisão sem precedentes, mostrando que o buraco negro está girando muito próximo da sua taxa máxima. Seu horizonte de eventos – o ponto de não retorno para o material que cai no buraco negro - está gi…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...