Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 6, 2011

Por que as pesquisas de galáxias longínquas deixam de detectar 90% de seus alvos?

Imagem
Esta é a imagem composta do campo GOODS-do-Sul, alvo da pesquisa do ESO, para entender porque 90% das galáxias distantes escapam da detecção nas pesquisas. Note, na foto, a presença das galáxias avermelhadas. Os astrônomos têm notado há algum tempo que em muitas pesquisas sobre objetos do Universo longínquo uma grande fração da radiação intrínseca total não tem sido capturada. Agora, graças a um rastreamento profundo executado com dois dos quatro telescópios gigantes (8,2 metros cada) do sistema Very Large Telescope do ESO (VLT), usando um filtro de alta qualidade, os astrônomos determinaram as razões porque uma enorme fração das galáxias, cuja luz demorou 10 bilhões de anos para chegar até nós, não foi descoberta. Esta nova pesquisa ajudou a encontrar algumas das galáxias menos luminosas já vistas nos confins do Universo. Os astrônomos freqüentemente utilizam a impressão digital forte característica da radiação emitida pelo hidrogênio, conhecida como linha espectral de Lyman-α (Lyman-…

Novo planeta é tão quente que derrete até ferro

Imagem
Astrônomos encontraram um planeta não muito maior do que a Terra, mas tão absurdamente quente que a vida como a conhecemos não tem chance nenhuma por lá. O exoplaneta, chamado de Kepler-21b, é apenas 1,6 vezes maior do que o nosso, sendo conhecido como “super Terra”. Mas ele orbita tão próximo de sua estrela mãe que os especialistas estimam que a temperatura em sua superfície seja de 1.627 graus Celsius – o suficiente para derreter ferro. Ele foi encontrado através do telescópio espacial Kepler, da NASA, que procura planetas alienígenas usando o método de trânsito – a baixa na luminosidade de uma estrela causada por um planeta que circula em sua frente, bloqueando um pouco de sua luz. O planeta foi posteriormente confirmado com a ajuda do telescópio do Observatório Nacional Kitt Peak, no Arizona. O Kepler-21b está localizado há 352 anos-luz da Terra. Sua massa é 10 vezes maior que a da Terra, mas ele está a apenas seis milhões de quilômetros de sua estrela mãe, levando 2,8 dias para c…

Sonda Voyager 1 atinge limite do Sistema Solar e pode sair da heliosfera

Imagem
De acordo com a Nasa, ela deverá chegar ao espaço interestelar desconhecido em alguns meses A Voyager 1 já percorreu quase 18 bilhões de quilômetros no espaço A sonda espacial Voyager 1, construção humana que se encontra mais afastada da Terra neste momento, entrou na fronteira de nosso Sistema Solar e pode chegar ao desconhecido espaço interestelar em questão de meses, informou na noite desta última segunda-feira, 5, a agência espacial americana Nasa. Os cientistas esperam conhecer novos dados emitidos da Voyager 1 para confirmar o momento no qual a sonda, lançada em 1977, sairá da heliosfera, região aonde chegam as partículas energéticas emitidas pelo Sol e que protege os planetas das radiações do espaço exterior. A Voyager já percorreu quase 18 bilhões de quilômetros e, segundo o comunicado da Nasa, poderia superar a barreira da heliosfera e a influência de seu campo magnético em "alguns poucos meses ou anos".  "Descobrimos que o vento solar é lento nesta região e sopr…

Via Láctea pode ter várias Super Terras feitas de diamantes

Imagem
Planetas, que teriam alta taxa de carbono em sua composição, são possíveis mas inabitáveis Ilustração mostra como seria um planeta com o manto e núcleo feito de um gigantesco diamante Reprodução Imagine um planeta que é como um gigantesco diamante. Por mais tentador que isso possa parecer, ele não será um bom lugar para se viver, mas a nossa galáxia, a Via Láctea, pode estar povoada destes estranhos objetos. É o que indica estudo da Universidade Estadual de Ohio, nos EUA, que provou que eles são possíveis e consequência natural na formação de planetas do tipo “super-terra” e ricos em carbono. Os pesquisadores recriaram em laboratório as temperaturas e pressões encontradas no interior da Terra para tentar entender o que acontece com o carbono dentro do nosso e de outros planetas. Além disso, eles queriam saber se objetos formados em outros sistemas solares mais ricos em carbono do que o nosso seriam feitos basicamente de diamante.  É possível que planetas com cerca de 15 vezes a massa d…

Físicos do CERN terminam ano em busca da 'partícula divina'

Os cientistas do Centro Europeu para Pesquisas Nucleares (CERN) terminaram as últimas semanas do ano analisando com entusiasmo uma enorme quantidade de dados obtidos pelo Grande Colisor de Hádrons, e com isso esperam encontrar a partícula "divina" que até hoje nunca foi vista. Os pesquisadores acreditam que em breve terão os primeiros resultados das investigações. "A análise dos dados anda bem. Estamos verificando as fontes que poderiam ocasionar erros sistêmicos", explicou à Agência Efe Javier Cuevas, professor de Física Atômica da Universidade de Oviedo e pesquisador do CERN encarregado de descobrir a partícula Bóson de Higgs.

O entendimento deste elemento explicaria as interações entre as partículas e as forças que atuam entre elas, o que possibilitaria entender a origem da massa. Só há um pequeno problema: nenhum cientista até hoje viu esta partícula, cuja existência foi descoberta por Peter Higgs em 1964. Para tentar observá-la e chegar o mais próximo da matér…

Planck Revela O Grande Arco Vermelho

Imagem
Imagens obtidas pelo observatório espacial Planck da Agência Espacial Europeia revelaram as forças que guiam a formação das estrelas e deram aos astrônomos uma maneira de entender a complexa física que molda o gás e a poeira na nossa galáxia. Onde telescópios terrestres ópticos observam somente um espaço escuro, os olhos sensíveis às micro ondas do Planck revelam uma miríade de estruturas brilhantes de poeira e gás. © Planck (Laço de Barnard em torno de Órion)
Os astrônomos usaram essa capacidade do Planck para pesquisar a região de Orion, uma região rica em formação de estrelas, localizada a aproximadamente 1500 anos-luz de distância da Terra. A imagem cobre uma grande parte da constelação de Orion. A nebulosa é o ponto brilhante abaixo do centro da imagem. O ponto brilhante à direita do centro é a região ao redor da famosa Nebulosa da Cabeça do Cavalo, assim chamada pois seus grandes pilares de poeira lembram a forma de uma cabeça de cavalo. O gigantesco arco vermelho do Laço de Barn…

Cientistas delimitam massa da matéria escura

Imagem
Físicos definiram o limite mais preciso até agora para a massa da matéria escura, o misterioso recheio do universo que deve formar 98% de toda a matéria do mundo. Os pesquisadores usaram dados do Telescópio Fermi, da NASA, para definir parâmetros da massa das partículas de matéria escura. Eles calcularam a média com que elas colidem com suas parceiras de antimatéria e se aniquilam, em galáxias que orbitam nossa Via Láctea. Savvas Koushiappas, professor assistente de física na Universidade Brown, e o físico Alex Gereinger-Sameth, descobriram que as partículas de matéria escura devem ter uma massa maior do que 40 giga-elétrons volts (GeV) – aproximadamente 42 vezes a massa de um próton. “O que descobrimos é que se a massa é menor do que 40 GeV, então não pode ser uma partícula de matéria escura”, afirma Koushiappas. Os resultados colocam dúvidas em achados recentes, de experimentos alternativos, que afirmavam ter conseguido detectar a matéria escura. Eles alardearam terem encontrado par…

Ástronomas portuguesas detetam galáxias raras

Imagem
Uma equipa de investigadores, maioritariamente do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP), detetaram um tipo raro de galáxias ativas (AGNs), simultaneamente com características de AGNs jovens e de antigas. Julga-se que esta aparente discrepância será devida ao reacendimento da atividade do buraco negro central. A equipa, composta essencialmente por astrónomas portuguesas, partiu de um catálogo de mais de 13 mil enxames de galáxias na banda rádio, à procura da ligação entre galáxias ativas e os respetivos enxames de galáxias. A astrónoma do CAUP e investigadora principal do projeto, Mercedes Filho, comentou o acaso da descoberta:
“O nosso projeto inicial era estudar rádio galáxias em enxames. Por sorte, encontramos oito fontes rádio com estruturas extensas (com jatos e lóbulos visíveis na banda rádio) que não apareciam na banda do visível, o que estranhamos. Decidimos por isso largar o projeto inicial e seguir o rasto destas estranhas rádio galáxias.”  Para obter mais deta…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...