Postagens

Mostrando postagens de Maio 4, 2012

Dossiê: Como a Terra, o Sistema Solar, a Via Láctea e o Universo irão acabar? .

Imagem
O nosso Universo é um local cercado de maravilhas com extrema beleza, mas nada dura para sempre, ou será que dura? Muitas teorias são propostas. O Jornal Ciência relata abaixo como chegará ao fim a Terra, o Sistema Solar, a Via Láctea e o Universo, baseado em modelos teóricos e estudos acumulados na astronomia.
Como será o fim da Terra?
Tecnicamente, a vida na Terra poderia já ter acabado ou nem existido se não fosse sua atmosfera que nos protege e nos recobre. Muitas teorias são discutidas e existem várias possibilidades. Cada vez que o Sol emite luz, um pouco de sua massa é perdida – uma vez que a luz é gerada pela fusão nuclear, na qual átomos se fundem, perdendo um pouco de sua massa na forma de energia. Alguns astrônomos defendem que o Sol, ao longo de bilhões de anos, dissiparia sua massa em uma escala que não poderia mais exercer atração sobre a Terra, e nosso planeta vagaria sem rumo pelo espaço. Outras teorias sugerem que, em no máximo 5 bilhões de anos, a Terra será engolida p…

Quatro anãs brancas apanhadas no ato de consumir planetas tipo terra

Imagem
Material rochoso em órbita de uma anã branca (centro). As colisões transformam material maior em poeira, e parte cai na direcção da anã branca.Crédito: Mark A. Garlick/space-art.co.uk/Universidade de Warwick Astrofísicos da Universidade de Warwick descobriram quatro anãs brancas rodeadas por poeira oriunda de corpos planetários despedaçados, que no passado tiveram composições parecidas à da Terra. Os cientistas publicaram os seus resultados num artigo da revista Monthly Notices da Sociedade Astronómica Real. As anãs brancas são o estágio final da vida de estrelas como o nosso Sol, os núcleos residuais de material deixado para trás após se ter esgotado o combustível necessário às suas reacções nucleares. Usando o Telescópio Espacial Hubble para levar a cabo o maior estudo até à data da composição química das atmosferas de anãs brancas, os investigadores descobriram que os elementos mais frequentes na poeira em torno destas quatro anãs brancas são o oxigénio, magnésio, ferro e silício - …

Nova proposta ousada quer fazer um barco flutuar em uma lua de Saturno .

Imagem
É talvez, a missão naval mais ousada já realizada pela humanidade - navegação nos mares de metano gelado da lua de Saturno, Titã. Uma nova missão da Nasa, com cientistas britânicos no comando, tem como objetivo explorar estes oceanos – usando uma espécie de paraquedas de um navio nos mares de Titã, pouco menos de um bilhão de quilômetros da Terra. “É um barco, essencialmente”, diz o professor John Zarnecki da Universidade Aberta (Open University). A proposta deve ser discutida em uma conferência sobre o espaço em Londres esta semana. Anteriormente, os cientistas propuseram uma espécie de planador para explorar a lua gelada – ou outros veículos que possam penetrar as nuvens espessas do planeta. Cassini foi a sonda da NASA que descobriu os lagos de metano no planeta em 2008. Os ‘lagos’ de Titã contém mais hidrocarbonetos que os suprimentos encontrados em toda Terra. A lua é densamente coberta de nuvens, e os cientistas estão intrigados sobre o que se encontra abaixo delas. Titã é maior …

Morte de estrela rasgou planeta gigante formando dois com tamanhos próximos ao da Terra .

Imagem
Um exoplaneta de grande massa pode ter sido rasgado em pedaços do tamanho da Terra com a morte de sua estrela-mãe. O estudo está oferecendo uma visão única sobre a evolução de outros mundos e suas estrelas, dizem cientistas. Os dois pedaços restantes do planeta, que os investigadores em tentativa, identificaram como sendo um planeta do tamanho de objetos ligeiramente menores que a Terra, possivelmente foram criados quando um grande ‘planeta-pai’ era puxado para dentro da estrela gigante vermelha KIC 05807616.  Extremas forças de maré, em seguida, rasgaram o ‘planeta-pai’ em pedaços, alguns dos quais parecem ter se estabilizado na órbita ao redor da estrela, revelando que a vida de um planeta nem sempre começa e termina de forma limpa, disseram os pesquisadores.  “Os planetas podem ainda evoluir, desintegrando-se em vários pequenos corpos ou serem completamente destruídos”, comentaram os autores da pesquisa, Ealeal Bear e Noam Soker, do Instituto de Tecnologia de Israel em entrevista a…

Galáxia M106

Imagem
Créditos: Dados da Imagem Compostos - Hubble Legado Arquivo; Adrian Zsilavec, Michelle Qualls, Adam Block / NOAO / AURA / NSF Processamento - André van der Hoeven Perto do Grande Urso (Ursa Major) e circundada pelas estrelas dos cães de caça (Canes Venatici), foi descoberta em 1781 pelo astrônomo métrico francês Pierre Mechain essa maravilha celeste. Mais tarde ela foi adicionada ao catálogo de seu amigo e colega Charles Messier como sendo o objeto de número 106, recebendo o codinome de M106. Imagens feitas por telescópios modernos revelam que esse objeto é na verdade uma das chamadas ilhas do universo: uma galáxia espiral que tem aproximadamente 30000 anos-luz de diâmetro e localiza-se a aproximadamente 21 milhões de anos-luz além das estrelas da nossa Via Láctea. Juntamente com proeminentes linhas de poeira e um brilhante núcleo central, essa imagem composta e colorida destaca a juventude dos aglomerados azuis de estrelas e os berçários estelares avermelhados que traçam os braços esp…

Os Epiciclos do Fermi: A Passagem do Pulsar Vela

Imagem
Créditos: NASA, DOE, International Fermi LAT Collaboration Explorando o cosmos nas energias extremas, o Telescópio Espacial de Raios-Gamma Fermi orbita o planeta Terra a cada 95 minutos. Por desenho, ele alterna sua órbita entre o norte e o sul com o objetivo de pesquisar o céu com o seu Telescópio de Grande Área (LAT). A sonda também gira de modo que os seus painéis de energia sejam apontados para o Sol e o seu eixo de órbita sofre uma precessão, completando uma rotação completa a cada 54 dias. Como resultado desses múltiplos ciclos as passagens das fontes de raios-gamma traçam padrões complexos do ponto de vista do Fermi, como pode ser mostrado acima no gráfico que representa a passagem do Pulsar Vela. Centrado no campo de visão do instrumento LAT, o gráfico cobre 180 graus e segue a posição do pulsar de Agosto de 2008 até Agosto de 2010. A concentração perto do centro mostra que o pulsar Vela esteve na região sensível do campo do LAT durante boa parte desse período. Nascido a parti…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...