Postagens

Mostrando postagens de Junho 20, 2013

As metálicas montanhas cobertas de neve de Vênus

Imagem
Cientistas desvendam o mistério sobre as camadas brilhantes que cobrem os topos das montanhas venusianas.
Algumas das característicasmais majestosasda Terra sãosuas montanhascobertas de nevealtas, atingindoaltao suficiente para queeles possamesculpirsistemas climáticosdo nosso mundo.Mas as montanhasda Terranão são de formaúnica, enãoé aneve.Montanhasem Vênustambém estãocobertas de neve.Excetoque a nevevenusianaé composta principalmentedemetais pesados. Como você poderia esperarde um planetacomuma atmosfera tãoalienígena,a neve quecobre osmontanhasde Vênuséaparentementenão menosexótico.Comas altas temperaturasna superfície doplaneta,o gelo de águaé impossível (não que hajamuita águaem Vênus). Segundo os cientistas, as temperaturas na superfície de Vênus são altas demais — na casa dos 480 °C!É feito desulfeto de chumboesulfeto debismuto,mais comumente conhecido comoos mineraisgalenaebismutinite. Esses elementos são depositados nos topos das montanhas devido à vaporização da pirita — miner…

Uma surpresa empoeirada em torno de um buraco negro gigante

Imagem
Esta concepção artística mostra os arredores do buraco negro de elevada massa que se encontra no coração da galáxia ativa NGC 3783, situada na constelação austral do Centauro. Novas observações obtidas com o Interferômetro do Very Large Telescope, no Observatório do Paranal do ESO, no Chile, revelaram não apenas o toro de poeira quente que rodeia o buraco negro mas também um vento de matéria fria nas regiões polares.Crédito:ESO/M. Kornmesser O interferômetro do Very Large Telescope do ESO obteve as observações mais detalhadas até hoje da poeira situada em torno do enorme buraco negro que se encontra no centro de uma galáxia ativa. Em vez de encontrar toda a poeira brilhante num toro em forma de rosquinha circundando o buraco negro, os astrônomos descobriram que muita desta poeira se encontra acima e abaixo do toro. Estas observações mostram que a poeira está sendo empurrada para longe do buraco negro sob a forma de vento frio - uma descoberta surpreendente que desafia as at…

A descoberta do bóson de Higgs mostrou que o universo não é natural?

Imagem
Descobrimoso bóson de Higgs no ano passado, mas ele não é exatamente o que esperávamos. De acordo com alguns físicos, isso significa que o universo em si não é o que nós pensávamos também. Nima Arkani-Hamed, teórico do Instituto de Estudos Avançados de Princeton (EUA), explica um pouco dos resultados experimentais recentes aparentemente contraditórios do Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), o maior acelerador de partícula do mundo. Segundo ele, a descoberta espetacular do bóson de Higgs em julho de 2012 confirmou uma teoria de quase 50 anos de idade de como as partículas elementares adquirem sua massa – e, por consequência, como elas podem formar grandes estruturas como galáxias e seres humanos. “O fato de que o bóson foi visto mais ou menos onde esperávamos encontrá-lo é um triunfo para a física experimental e um triunfo para a física teórica – é uma indicação de que a física funciona”, Arkani-Hamed disse. No entanto, para que o bóson de Higgs fizesse sentido com a ma…

Atmosfera de Marte era rica em oxigênio há 4 bilhões de anos

Imagem
Período é anterior ao surgimento de O2 na Terra, há 2,5 bilhões de anos. Cientistas avaliaram meteoritos e rochas na superfície do planeta vermelho. Imagem de Marte obtida pelo Telescópio Espacial Hubble, da Nasa, em 2007 (Foto: Nasa/Divulgação) A atmosfera de Marte era rica em oxigênio há 4 bilhões de anos, aponta um novo estudo feito por cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido. Esse período é bem anterior ao surgimento de oxigênio na atmosfera terrestre, o que ocorreu há 2,5 bilhões de anos. Os resultados serão publicados na revista "Nature" desta quinta-feira (20). Os pesquisadores avaliaram a composição de meteoritos marcianos que caíram na Terra e dados do robô aposentado Spirit, da agência espacial americana (Nasa).  O veículo, que permaneceu ativo no planeta vermelho entre 2004 e 2009, analisou rochas na superfície da cratera Gusev, que foi provavelmente criada pelo impacto de um asteroide ou cometa e pode ter abrigado um lago no passado. O fato de as rochas…

Conheça a estrela capaz de ficar 7 vezes mais quente e 15 vezes mais brilhante em 160 segundos

Imagem
Recentemente, cientistas do Observatório Astrofísico de Buyarakan (Armênia) viram um fenômeno curioso: a estrela WX UMa sofreu um aumento drástico e temporário em seu brilho e calor em questão de poucos minutos. Localizada a 15,6 anos-luz da Terra, a WX UMa é classificada como flare star (“estrela fulgurante”, em tradução aproximada), uma estrela de luminosidade relativamente baixa, mas que muda de modo radical durante um curto intervalo de tempo. De acordo com as observações feitas pela equipe, ela passou de cerca de 2,5 mil °C para uma temperatura entre 10 mil e 32,8 mil °C, aproximadamente – e, com esse aumento, também ficou 15 vezes mais brilhante. Voltou ao normal em menos de 10 minutos. Esse efeito é tão dramático que a classificação da estrela literalmente muda dentro de poucos segundos. Neste caso, WX UMa temporariamente se transforma em um tipo espectral M para B. Esse fenômeno ocorre devido a turbulências no campo magnético da estrela, causadas por instabilidade em seu plasm…

NASA pede ideias sobre como lidar com asteroides ameaçadores

Imagem
A NASA anunciou um "grande desafio" (Grand Challenge) para tentar encontrar todos os asteroides que representam ameaça para os seres humanas e descobrir o que fazer com eles. A série Grand Challenge é um chamado à comunidade para que o mundo dê ideias sobre o que fazer com um determinado problema. Normalmente participam grupos de pesquisadores universitários e empresariais, mas também especialistas e interessados do público em geral. "Este Grand Challenge é focado na detecção e caracterização de asteroides e em aprender a lidar com possíveis ameaças. Também queremos aproveitar o engajamento público, a inovação aberta e a ciência cidadã para ajudar a resolver este problema global," disse Lori Garver, executivo da NASA. Eu aplaudo a NASA pelo lançamento deste Grand Challenge porque encontrar asteroides ameaçadores e ter um plano para lidar com eles tem de ser um esforço de todos colocando a mão na massa," acrescentou Tom Kalil, assessor de tecnologia e…

Endereço da Terra na Via Láctea ganha mais respeito

Imagem
Os novos dados "destacam" nosso Braço Local dos braços principais de Sagitário e Perseu.[Imagem: Robert Hurt-IPAC/Bill Saxton-NRAO/AUI/NSF]
Esquecidos por quem? É comum ouvir que o Sistema Solar, e a Terra em particular, residem em um "canto esquecido" nos subúrbios da Via Láctea. Embora não escondam a pretensão de que morássemos no centro da Via Láctea - o que é quase certamente inviável para nossa "especificação biológica" - essas afirmações não deixam de ter razão. De fato, moramos em um braço menor da nossa galáxia espiral, chamado Braço Local, situado entre dois dos braços principais da Via Láctea. Mas não tão menor quanto se acreditava, garantem Alberto Sanna e seus colegas do Instituto Max Planck de Radioastronomia, na Alemanha. Segundo os novos cálculos, o nosso Braço Local não é apenas uma pequena ramificação, uma espécie de "espora" de um braço principal.  Nossos novos dados sugerem que o Braço Local é uma estrutura proeminente da…

Impressionante Galáxia NGC 3628

Imagem
Crédito de imageme direitos autorais:AlessandroFalesiedi A nítida imagem telescópica da impressionante galáxia espiral NGC 3628, que observamos de lado daqui da Terra mostra um disco galáctico almofadado dividido por linhas escuras de poeira. Claro, esse retrato galáctico profundo traz a tona para alguns astrônomos o apelido dessa galáxia, a Galáxia Hambúrguer. Essa tentadora ilha do universo tem aproximadamente 100000 anos-luz de diâmetro e está localizada a 35 milhões de anos-luz de distância na constelação de Leo, o Leão. A NGC 3628 compartilha sua vizinhança no universo local com duas outras grandes galáxias espirais, a M65 e a M66 num grupo conhecido como Trinca de Leão. As interações gravitacionais com suas vizinhas cósmicas são provavelmente as forças responsáveis por estender a incandescência e a torção do disco espiral. Fonte:http://apod.nasa.gov/apod/ap130620.html

Sonda Cassini Se Prepara Para Fazer Imagem Especial da Terra

Imagem
Esta visãosimuladada sonda Cassini daNASAmostra as posiçõesesperadas deSaturno eTerraem 19 dejulho de 2013em torno do tempoCassiniirátirar uma fotoda Terra.Cassiniserá de cerca de898 milhões milhas(1.440 milhões quilômetros) de distância da Terrana época.Essa distânciaéquase 10 vezesadistância do Solà Terra.Crédito da imagem:NASA /JPL-Caltech A sonda da NASA, agora explorando Saturno, fará no dia 19 de Julho de 2013, uma imagem especial do nosso planeta, a milhões de quilômetros de distância. A Terra, logicamente aparecerá como um ponto pálido azul entre os anéis de Saturno na imagem, que será parte de um mosaico, ou de um retrato composto de múltiplas imagens que a sonda Cassini está compondo para o Sistema de Saturno. Enquanto a Terra será somente um pixel do ponto de vista da Cassini, a 1.44 bilhões de quilômetros de distância, a equipe da sonda está esperando dar ao mundo uma chance para ver como o nosso lar se parece quando observado desde Saturno”, disse Linda Spilker, cientista …

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...