Postagens

Mostrando postagens de Setembro 13, 2013

Asteroide passa pela Terra e engana cientistas por quase 30 anos

Imagem
Imagem registrada pelo telescópio Spitzer mostra uma sutil coma e cauda detectada ao redor do asteroide-cometa 3552 Don Quixote. A imagem da direita foi pós-processada com o objetivo de subtrair a coma do cometa para facilitar a detecção da cauda. Crédito: NASA/JPL- altech/DLR/NAU, Apolo11.com. Em agostode 1983, um asteroide com mais de 18 km de comprimento passou a 44 milhões de km da Terra e foi observado por dezenas de telescópios terrestres. Agora, passados 30 anos, pesquisadores descobriram que o objeto não era um asteroide e sim cometa que ainda está ativo. Batizado de 3552 Don Quixote, o objeto se aproximou da Terra em 20 de agosto de 1983 e de acordo com dados fornecidos pelo Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, JPL, é o terceiro maior asteroide nas vizinhanças do planeta.

A descoberta de que Don Quixote é um cometa e não um asteroide resultou de um projeto coordenado por cientistas da Northern Arizona University, nos EUA, que usaram imagens no espectro infravermelho regist…

Mais de 200 mil se dizem dispostos a viajar a Marte sem retorno

Imagem
A Mars One busca 24 voluntários ou seis grupos de quatro que realizarão o trajeto de ida sem volta com dois anos de intervalo Mais de 200 mil pessoas de 140 países pediram para fazer parte do grupo de eventuais primeiros colonizadores de Marte em uma viagem sem retorno, informou na segunda-feira a companhia Mars-One, envolvida no projeto. No total, 202.586 pessoas se registraram para integrar a primeira leva de olonos, informou em um comunicado a empresa sem fins lucrativos holandesa, que em abril de 2013 lançou uma convocação de candidaturas para uma viagem de sete meses de duração e sem retorno a Marte, prevista para 2023.
O maior grupo de interessados provém de Estados Unidos (24%), Índia (10%), China (6%) e Brasil (5%), mas também se inscreveram candidatos de Argentina, Chile, Colômbia, Espanha, México e Peru, bem como de Alemanha, Austrália, Canadá, Filipinas, França, Itália, Polônia, Reino Unido, Rússia, Turquia e Ucrânia. Três fases de seleção estão previstas nos próximos dois an…

Planetas para todos

Imagem
Impressãodo artistadeCorot-7b
Grandes, pequenos, quentes, frios - O número de planetas descobertos fora do Sistema Solar vai a caminho dos 900. Os cientistas dividem-nos em vários tipos, de acordo com as suas características.

-CHTHONIANOS
Exemplo: COROT-7b
Massa: Até nove vezes a terrestre
Raio da órbita: 2,58 milhões de quilómetros
O nome deriva do de umas criaturas subterrâneas da mitologa grega. Provavelmente, estes corpos rochosos eram gigantes gasosos que perderam a sua espessa camada atmosférica. -JÚPITERES QUENTES
Exemplo: 51 Pegasi b
Massa: metade da de Júpiter
Raio da órbita: Menos de 7,9 milhões de km
A estes mundos semelhantes ao maior planeta do Sistema Solar também se chama “jovianos periestelares”. Se são quentes, isso significa que estão umas cem vezes mais próximos da sua estrela do que Júpiter do Sol. -NETUNOS QUENTES
Exemplo: Gliese 436b
Massa: 22 vezes a terrestre
Raio da órbita: 4,4 milhões de km
São gigantes gasosos que orbitam perto de uma estrela. No caso concret…

Quando a Lua crescente encontra o planeta Vênus

Imagem
Créditos de imageme direitos autorais:LuisArgerich,AgustinLlorens,GuidoMedici, GabrielRemotti No dia 8 de Setembro de 2013, o brilhante planeta Vênus apareceu como a estrela da noite pairando perto da fina Lua Crescente ao pôr-do-Sol. O encontro celeste, ou conjunção foi uma cena que maravilhou observadores por todo o mundo. Mas de alguns locais da América do Sul, a Lua na verdade passou na frente de Vênus, numa ocultação lunar. Capturada perto de Las Cañas, no Uruguai, esse mosaico de dois frames de imagens telescópicas, mostra a Lua e Vênus antes e depois da ocultação. A prateada estrela noturna aparece à direita um pouco antes de se esconder atrás do limbo lunar escuro, ainda no céu que brilhava com a luz crepuscular. Aproximadamente uma hora depois Vênus emergiu (à esquerda) juntamente à borda iluminada da Lua Crescente com três dias de vida. Fonte:http://apod.nasa.gov/apod/ap130913.html

Estrelas e poeira através da Corona Australis

Imagem
Crédito de imageme direitos autorais:IgnacioDiazBobillo Nuvens de poeira cósmica se espalham através do campo de estrelas nessa bela vista telescópica de uma região localizada próxima da borda da Corona Australis, a Coroa do Sul. A menos de 500 anos-luz de distância as nuvens de poeira efetivamente bloqueiam a luz das estrelas de fundo mais distantes na Via Láctea. O frame como um todo se espalha por cerca de 2 graus, ou mais de 15 anos-luz na distância estimada das nuvens. Perto do centro da imagem está um grupo de amáveis nebulosas de reflexão catalogadas como NGC 6726, 6727, 6729 e IC 4812. Uma cor azul característica é produzida à medida que a luz proveniente de estrelas quentes é refletida pela poeira cósmica. A poeira também obscurece da visão, estrelas na região que ainda estão em processo de formação. A nebulosa menor amarelada NGC 6729 circunda a jovem estrela variável R Coronae Australis. Abaixo estão os arcos e loops identificados como objetos Herbig Haro associados com estr…

É OFICIAL: Voyager 1 deixa sistema solar e entra no espaço interestelar

Imagem
Esta impressão de artista mostra a sonda Voyager 1 contra um fundo de estrelas na vasta escuridão do espaço.Crédito: NASA/JPL-Caltech
A sondaVoyager 1 da NASA é oficialmente o primeiro objecto feito pelo Homem a aventurar-se no espaço interestelar. A sonda com 36 anos está a 19 mil milhões de quilómetros do nosso Sol. Novos e inesperados dados indicam que a Voyager 1 há já cerca de um ano que viaja por plasma, ou gás ionizado, presente no espaço entre as estrelas. A Voyager está numa região de transição imediatamente fora da bolha solar, onde alguns efeitos do nosso Sol ainda são evidentes. Um relatório sobre a análise destes novos dados, um esforço liderado por Don Gurnett e pela equipa de ciência de ondas de plasma da Universidade de Iowa, em Iowa City, foi publicado na edição de ontem da revista Science. "Agora que temos novos dados fundamentais, acreditamos que este é o salto histórico da Humanidade para o espaço interestelar," afirma Ed Stone, cientista do projecto Voyage…

O amendoim no coração da nossa Galáxia

Imagem
Os telescópios do ESO criam o melhor mapa 3D de sempre do bojo central da Via Láctea Esta impressão artística mostra qual a forma da Via Láctea quando vista praticamente de perfil e de uma perspectiva completamente diferente da que temos a partir da Terra. O bojo central parece uma bola brilhante de estrelas em forma de amendoim e os braços em espiral e as suas nuvens de poeira associadas formam uma banda estreita.Créditos: ESO/NASA/JPL-Caltech/M. Kornmesser/R. Hurt Dois grupos de astrónomos usaram dados dos telescópios do ESO para fazerem o melhor mapa a três dimensões de sempre das zonas centrais da Via Láctea. As equipas descobriram que as regiões internas se parecem com um amendoim ou uma estrutura em X, quando vistas a partir de certos ângulos. Esta forma estranha foi mapeada com o auxílio de dados públicos do telescópio de rastreio VISTA do ESO e também a partir de medições dos movimentos de centenas de estrelas muito ténues situadas no bojo central. O bojo galáctico é …

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...