Postagens

Mostrando postagens de Outubro 15, 2013

16 de março de 2880: a nova data para o possível fim do mundo

Imagem
Conheça o asteroide que pode colidir com a Terra nesta data
Ao ler o título acima, provavelmente você pensou: “eu nem estarei mais aqui quando isso acontecer”. É ou não é verdade? De qualquer forma, se realmente a previsão de uma possível colisão de um asteroide na Terra nesta data se concretizar, o negócio é rezar para que os nossos descendentes descubram um jeito infalível de destruir o astro celeste antes do mesmo aniquilar a raça humana. Segundo a Discovery News, existem mais de 10 mil corpos celestes próximos da Terra que foram identificados até agora. São asteroides e cometas de tamanhos variados, que compreendem a distância orbital da Terra em cerca de 45 milhões de quilômetros. Desses, cerca de 10% são maiores do que um quilômetro, sendo grandes o suficientes para ter consequências globais desastrosas no caso de um impacto. Armagedon? Descoberto pela primeira vez em fevereiro de 1950, o asteroide chamado 1950 DA tem 1,1 quilômetros de largura foi observado por 17 dias e, em segu…

Veja todas as cores que a luz visível do sol emite

Imagem
Como todos nós provavelmente nos lembramos das aulas de física do Ensino Médio, a luz branca pode ser decomposta em todas as cores do arco-íris. Na prática, pode parecer abstrato demais. Você já imaginou observar uma imagem de alta qualidade que mostre exatamente isso? Que tal ver a quantidade de cada cor que sai da luz do nosso sol? Isso é exatamente o que a fotografia abaixo mostra. Capturada pelo Observatório Astronômico Óptico Nacional dos Estados Unidos, esta imagem é um espectro completo de luz visível captada do sol. Cada uma das 50 fatias abrange 60 angströms do espectro de luz (cada angström equivale a 1 x 10⁸), para uma gama de 4 mil a 7 mil angströms (ou seja, entre 400 e 700 nanômetros).Apenas observando a fotografia, é possível perceber alguns fatos curiosos. Logo de cara, vê-se que a região mais brilhante corresponde à área verde-amarela do espectro. Ainda existem diversas linhas pretas que correm por entre o local. Essas manchas escuras são provenientes de gases na atm…

Nuvem inesperada em torno de estrela enorme

Imagem
Esta nova imagem do Telescópio de Rastreio do VLT (VST), instalado no Observatório do Paranal do ESO, mostra o super enxame estelar Westerlund 1. Este enxame excepcionalmente brilhante situa-se a cerca de 16.000 anos-luz de distância da Terra na constelação austral do Altar. O enxame contém centenas de estrelas muito brilhantes de elevada massa, todas com uma idade de apenas alguns milhões de anos. No entanto, torna-se difícil observar este enxame devido ao gás e poeira que impedem que a maior parte da radiação visível emitida pelas estrelas chegue até à Terra.
Agora, ao estudarem imagens do Westerlund 1 com o auxílio de um novo rastreio do céu austral, os astrônomos descobriram algo inesperado neste enxame. Em torno de uma das estrelas, uma supergigante vermelha chamada W26 e possivelmente a maior estrela que se conhece, descobriram nuvens de hidrogênio brilhante, as quais aparecem nesta nova imagem em verde.  Tais nuvens brilhantes em torno de estrelas de elevada massa são muito ra…

Chuva de diamantes pode estar ocorrendo em Saturno e Júpiter

Imagem
Para cientistas norte-americanos, há uma grande possibilidade de estar caindo - nos planetas de Júpiter e Saturno - uma chuva de diamantes.. Conforme conclusão apresentada por dois cientistas norte-americanos, diamantes enormes que deixariam muitas mulheres “loucas” para tê-los, estariam caindo em forma de chuva nos planetas de Júpiter e Saturno. Essa tese foi apresentada pelos cientistas no encontro anual da divisão de Ciência Planetárias da Sociedade Americana de Astronomia, que foi realizada em Denver, nos Estados Unidos. Ainda em relação à conclusão, a mesma indica que o carbono cristalizado é abundante na atmosfera destes planetas, segundo Kevin Baines, da Universidade de Winsconsin-Madison. O estudo de Baines e Mona Delitsky, co-produtora da pesquisa, indica que fortes raios transformam o gás metano em partículas de carbono, sendo que à medida em que elas vão caindo, esse material entra em choque com a pressão atmosférica, transformando-se primeiramente em pedaços de g…

A Grande Nebulosa da Carina

Imagem
Créditos da Imagem:Lorand Fenyes Uma joia do céu do hemisfério sul da Terra, a Grande Nebulosa da Carina, também conhecida como NGC 3372, se espalha por mais de 300 anos-luz, e é uma das maiores regiões de formação de estrelas da nossa galáxia. Como a menor e mais ao norte Grande Nebulosa de Orion, a Nebulosa da Carina é facilmente visível a olho nu, apesar de estar a uma distância de 7500 anos-luz da Terra, cinco vezes mais distante do que a Nebulosa de Orion. Essa bela imagem telescópica mostrada acima revela detalhes impressionantes dos filamentos brilhantes da região de gás interestelar e de nuvens de poeira escuras. Mais vasto do que o tamanho angular da Lua Cheia, o campo de visão mostrado acima se espalha por mais de 300 anos-luz através da nebulosa. A Nebulosa da Carina é o lar de estrelas extremamente massivas e jovens, incluindo a ainda enigmática estrela variável Eta Carinae, uma estrela com mais de 100 vezes a massa do Sol. A estrela Eta Carinae é a estrela mais brilhante l…

Levantamento mapeia locais onde as estrelas nascem

Imagem
Uma equipe de astrónomos liderada por Yancy Shirley do Observatório Steward da Universidade do Arizona completou o maior levantamento de sempre de densas nuvens de gás na Via Láctea - zonas de gás e poeira onde novas estrelas estão a nascer. Catalogando e mapeando mais de 6000 nuvens de gás, o estudo permite com que os astrónomos compreendam melhor as primeiras fases da formação estelar. Quando observamos a Via Láctea numa clara noite de Verão, apercebemo-nos que não é uma corrente contínua de estrelas," afirma Shirley. "Ao invés, notamos todas aquelas pequenas manchas escuras onde parece não existir estrelas. Mas essas regiões não estão desprovidas de estrelas - são nuvens escuras que contêm gás e poeira, a matéria-prima a partir da qual as estrelas e planetas se formam na Via Láctea. De acordo com Shirley, o estudo é um importante passo em frente na Astronomia porque permite com que os astrónomos estudem as fases iniciais da formação estelar, quando o gás e poeira nas nuve…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...