Postagens

Mostrando postagens de Outubro 8, 2015

9 Fatos surpreendentes sobre eclipses lunares

Imagem
A Lua é a nossa eterna companheira e está rodeada de misticismo. Conheça 10 fatos sobre eclipses lunares que certamente o irão surpreender.
1. Com que frequência ocorrem os eclipses lunares?
Durante o século 21, houve 85 eclipses lunares totais; uma localização geográfica específica na superfície da Terra é capaz de ver uma média de 40 a 45 eclipses lunares totais ou cerca de um a cada 2,3 anos.  Compare isso com um eclipse total do sol, que, visto a partir de uma localização geográfica específica, ocorre em uma média de uma vez a cada 375 anos. A razão para a grande disparidade é simples.  A fim de ver um eclipse total do sol, você deve estar fortuitamente posicionados ao longo do caminho da sombra escura da lua (a umbra) que pode prolongar por muitos milhares de milhas, mas não pode ser maior do que 167 milhas de diâmetro. Em contraste, a região de visibilidade para um eclipse lunar total estende-se a mais de metade da Terra permitindo a bilhões participar do show lunar.
2. Onda de ch…

O Universo pode acabar mais cedo do que pensávamos

Imagem
Mas, em termos humanos, ainda temos um bom tempo Físicos calcularam novamente o tempo em que o Universo vai parar de se expandir e entrar em colapso (o que acabaria com toda a matéria em seu interior) e previram que isso irá acontecer nos próximos 10 bilhões de anos. O tempo parece longo em termos humanos, mas, em uma escala cosmológica, ele é bastante curto. De acordo com o pesquisador Antonio Padilla, da University of Nottingham, um dos autores do estudo, o fato de estarmos notando energia escura pode ser um indicador de que 'o fim está próximo'.  Esse cálculo foi feito quando a equipe tentava descobrir por que a expansão do Universo estava acelerando (uma das questões mais debatidas na física). 
Em 1917, quando cientistas não acreditavam que o Universo estivesse acelerando, Einstein propôs uma constante cosmológica, que quantificava a densidade da energia do váculo no espaço e equilibrava a atração da matéria. Alguns anos depois, o astrônomo Edwin Hubble percebeu que o cosmo…

Como os cientistas sabem do que é feito o Universo?

Imagem
Você já deve ter ouvido falar em matéria escura e energia escura, elementos misteriosos que existem no Universo em proporções muito maiores que a matéria luminosa, que bem conhecemos. Ambas são completamente diferentes, mas têm o mesmo adjetivo porque são invisíveis para nós. Então como é que os cientistas chegaram à conclusão de que elas realmente existem?
"O curioso é que essas conclusões foram tiradas a partir de observações não esperadas em pesquisas científicas", conta o professor de física Marcelo Guzzo, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). "Existem essas 'surpresas' na Ciência e esses são dois grandes exemplos", comenta. A matéria que podemos ver, também chamada de matéria luminosa ou bariônica, e formada pelos átomos da tabela periódica, compõe apenas 4% do nosso Universo (sim, nossa visão é bem limitada). Cerca de 75% referem-se à energia escura, e o restante, cerca de 21%, à matéria escura. A suspeita de que a matéria escura existia com…

Astrônomos descobrem Arcos Misteriosos em uma Estrela, algo que nunca foi observado Antes

Imagem
De acordo com os astrônomos, AU Microscopii (AU Mic) é uma estrela, localizada  apenas 32 ​​anos-luz de distância da Terra. As imagens do Telescópio Espacial Hubble e do grande telescópio do ESO mostram características muito incomuns dentro do disco da estrela. Em 2014, os astrônomos compararam as imagens mais recentes tomadas pelo grande telescópio com as imagens de 2010 e 2011 tomadas pelo Hubble e descobriram que as últimas imagens mostram características inexplicáveis ​​que têm uma estrutura em arco. A estrutura, que é bastante incomum, algo que nunca foi observado antes, disse Anthony Boccaletti do Observatório de Paris, França. Sr. Thalmann do ETH Zürich na Suíça, disse que os arcos estão correndo para longe da estrela a velocidades de até cerca de 40 000 km / h (24 854,85 ​​mph) e estas ondas estão se movendo tão rápido que parece que eles escapam da atração gravitacional da estrela. Os astrônomos disseram que outros corpos celestes, enquanto que orbitam a estrela não são respo…

M83 - A galáxia dos mil rubis

Crédito de imagem: Telescópio Subaru(NAOJ), o Telescópio Espacial Hubble,
Observatório Europeu do Sul-Processing &Direitos de Autor:RobertGendler

Grande, brilhante e bonita, a galáxia espiral M83 localiza-se a cerca de 12 milhões de anos-luz de distância da Terra, perto da ponta sudeste da grande constelação de Hydra. Braços espirais proeminentes traçados por linhas de poeira escuras e por aglomerados estelares azuis, dão a essa galáxia seu nome popular, O Cata-vento do Sul. Mas as regiões avermelhadas de formação de estrelas que pontuam os braços, destacadas nessa nítida composição colorida também sugerem outro apelido para essa bela galáxia, A Galáxia dos Mil Rubis. Com cerca de 40000 anos-luz de diâmetro, a M83 faz parte de um grupo de galáxias que inclui a galáxia ativa Centaurus A. De fato, o núcleo da M83 é brilhante nas energias de raios-X, mostrando uma alta concentração de estrelas de nêutrons e buracos negros. Essa composição colorida muito nítida, também mostra as estrela…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...