Postagens

Mostrando postagens de Novembro 5, 2015

Cientista diz ter encontrado evidência de outros universos

Imagem
Em um novo estudo apresentado ao “Astrophysical Journal”, o astrônomo e astrofísico Ranga Chary afirma ter encontrado evidências de interações entre o nosso e outros universos ao analisar a radiação cósmica de fundo em micro-ondas (CMB, do inglês cosmic microwave background). A versão de pré-impressão do estudo, que ainda não foi revisado por pares, está disponível no ArXiv. O cientista teria descoberto uma anomalia associada a algumas regiões da CMB que ele acredita ser uma evidência para a existência de universos alternativos. Segundo o portal I Fucking Love Science, o autor escreveu que os dados observados poderiam “possivelmente ser devido à colisão do nosso universo com um universo alternativo cuja proporção do bárion para o fóton é um fator aproximadamente 65 vezes maior que a nossa. A CMB é a primeira luz que brilhou no universo. Foi emitida 370 mil anos depois do Big Bang, quando o Universo era frio o suficiente para o hidrogênio se formar e os fótons originais estavam livres …

A Grande Nebulosa de Orion (M42)

A GrandeNebulosa de Orion, também conhecida como M42, é uma das mais famosas nebulosas no céu. As nuvens de gás brilhante e as estrelas jovens e quentes da região de formação de estrelas estão na parte direita dessa imagem espetacular que inclui a nebulosa de reflexão azulada NGC 1977 e alguns amigos na parte esquerda. Localizada na borda do outrora invisível gigantesco complexo de nuvens moleculares, essas nebulosas representam somente uma fração da riqueza do material interestelar presente nessa vizinhança galáctica. Dentro do berçário estelar bem conhecido, os astrônomos têm também identificado o que parece ser numerosos sistemas planetários infantis (imagem abaixo). A bela e impressionante paisagem cósmica mostrada acima se espalha por quase dois graus ou cerca de 45 anos-luz considerando a distância de 1500 anos-luz da Terra até a Nebulosa de Orion. Fonte:http://apod.nasa.gov/apod/ap151104.html

Einstein contestado: ou Deus joga dados, ou é possível superar velocidade da luz

Imagem
Ou Deus de fato joga dados com o Universo, ou os spins dos elétrons podem conversar entre si mais rapidamente do que a velocidade da luz, e a velocidade da luz não seria o limite universal de velocidade. [Imagem: ICFO]
Realismo local Um experimento histórico obteve a refutação mais forte até hoje do princípio do "realismo local", defendido por Albert Einstein, que afirma que o Universo obedece a leis, e não ao acaso - uma crítica à mecânica quântica - e que não há forma de viajar ou trocar informações mais rápido que a luz. O experimento, executado na Universidade Tecnológica de Delft, na Holanda, é o chamado "teste de Bell incontestável" (loophole-free Bell test), cujos resultados abrem ou a possibilidade da existência de influências "escondidas" além do espaço-tempo, ou elimina o limite de velocidade universal - a velocidade da luz.
No experimento, dois elétrons presos dentro de dois cristais de diamante diferentes foram entrelaçados (ou emaranhados), o…

Pesquisadores modelam o nascimento do universo na maior simulação cosmológica já executada

Imagem
Pesquisadores estão debruçados sobre uma avalanche de dados produzidos por uma das maiores simulações cosmológica já realizadas na história, liderada por cientistas do Laboratório Nacional de Argonne do Departamento de Energia dos EUA. A simulação, rodada no supercomputador Titan, do Laboratório Nacional de Oak Ridge do DOE, modelou a evolução do universo, de um período de somente 50 milhões de anos depois do Big Bang, até os dias de hoje – ou seja, desde a infância do universo, até o seu estado adulto atual. No decorrer de 13.8 bilhões de anos, a matéria no universo, se agrupou formando galáxias, estrelas e planetas, mas nós não sabemos exatamente como isso aconteceu.
Essas simulações ajudam os cientistas a entenderem a energia escura, uma forma de energia que afeta a taxa de expansão do universo, incluindo a distribuição das galáxias compostas de matéria ordinária, bem como de matéria escura, um tipo misterioso de matéria que nenhum instrumento pode medir diretamente. Intensivas pesq…

Uma visão completa de Plutão em fase crescente aos olhos da New Horizons

Imagem
Em Setembro de 2015, a equipe da sonda New Horizons lançou uma impressionante, porém incompleta imagem que mostrava Plutão como um objeto crescente. Graças a um novo trabalho de processamento, realizado pela equipe de ciência, a sonda New Horizons está lançando uma imagem completa e de tirar o fôlego, literalmente, do planeta anão Plutão crescente. Essa imagem foi feita apenas 15 minutos depois da maior aproximação da sonda New Horizons em Plutão, no dia 14 de Julho de 2015, enquanto a sonda olhava para Plutão contra o Sol. A perspectiva de grande angular da imagem mostra as profundas camadas da atmosfera de Plutão se estendendo envolta de todo o objeto, revelando os perfis em silhueta dos platôs rugosos no lado noturno de Plutão, na parte esquerda da imagem. A sombra que Plutão gera nas suas camadas atmosféricas podem também ser vistas na parte mais superior do disco.
No lado iluminado pelo Sol de Plutão, na parte direita da imagem, a parte suave da planície congelada Sputnik pode se…

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...